Secretário Pinheiro visita escolas em Ribeiro do Pombal neste sábado

 

 

As escolas da rede estadual localizadas em Ribeira do Pombal receberam, neste sábado (21), a visita do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, que esteve acompanhado pelo prefeito Ricardo Maia e por dirigentes da Secretaria. Pinheiro esteve nos colégios estaduais Central de Ribeira do Pombal, Professora Silvia Ferreira de Brito e no Centro Territorial de Educação Profissional (CEEP) do Semiárido Nordeste II, além do Colégio Estadual João Marques, no distrito de Barrocão.

“Nosso objetivo com estas visitas que sempre fazemos é buscar aproximar cada vez mais a Secretaria das escolas, fazendo a ausculta das necessidades, conhecendo os projetos desenvolvidos em cada lugar, verificando também a rede física, sempre com foco no fortalecimento do eixo pedagógico e na preparação de novas ofertas para os estudantes”, destacou Pinheiro.

Para o diretor do Colégio Central, Laelson Ferreira Santana, a visita do secretário e equipe foi marcante. “Desde que assumi a gestão desta escola, foi a primeira vez que um secretário esteve aqui, e a equipe da escola ficou satisfeita porque a gente acredita que as coisas vão melhorar. A escola tem uma estrutura boa. A área é grande e dá para implantar, conforme destacou o secretário, um Centro Juvenil de Ciência e Cultura, para beneficiar toda a comunidade, inclusive estudantes de outras escolas da cidade”, destacou.
No Colégio Professora Silvia Ferreira de Brito, Pinheiro foi recepcionado pela vice-diretora do turno noturno, Edicléia Andrade de Matos, que ressaltou a perspectiva de melhoria na unidade escolar a partir do que foi dialogado. “Ele visitou todos os espaços da escola, conversou com os funcionários e apresentou as possibilidades para 2018, inclusive a contratação de coordenador pedagógico, além de novas ofertas do Pronatec para o atendimento de estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), e outros cursos. Ele nos apresentou também uma forma de integrar as três escolas, a partir de projetos do eixo pedagógico”, destacou Edicléia. O colégio possui 1.110 alunos e atende as modalidades anos finais do Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos.
No CEEP Semiarido Nordeste II, o secretário percorreu todas as instalações, incluindo os laboratórios de enfermagem, edificações, desenho, agropecuária, informática e análises clínicas, este último em processo de implantação. Ele foi recepcionado pela diretora Eloísa Boaventura Guimarães. “Percorremos a escola toda, vimos as demandas mais importantes e dialogamos sobre a integração com as demais unidades escolares. Foi muito proveitoso”, avaliou Eloísa. O CEEP Semiarido Nordeste II oferta os cursos de técnico em Enfermagem, Nutrição, Análises Clinicas, Edificações, Agropecuária, Contabilidade, Administração e Recursos Humanos.
No povoado de Barrocão,  distante a 18 km da sede municipal, Pinheiro visitou o Colégio Estadual João Marques da Silva. “Foi importante a vinda dele aqui, com o prefeito, para avaliar presencialmente a escola, as necessidades e as qualidades, porque temos aqui uma escola limpa e com boa conservação do patrimônio”, disse o diretor da unidade escolar, Fernandes Santana de Oliveira Junior.

Colégios estaduais começam a aplicar a Prova Brasil na próxima segunda-feira

Os estudantes da rede estadual de ensino deverão participar, a partir de segunda-feira (23), da aplicação das provas nacionais de Língua Portuguesa e Matemática do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB)/ Prova Brasil 2017. As provas serão realizadas em um único dia nas escolas, no período de 23 de outubro a 3 de novembro, conforme agendamento prévio feito pela empresa responsável pela aplicação. Esta avaliação é fundamental para o replanejamento de ações pedagógicas, visando a melhoria dos processos de ensino e de aprendizagens.

A Prova Brasil inclui estudantes do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, da 3ª  série do Ensino Médio e da 4ª série da Educação Profissional, contemplando as escolas públicas das zonas urbanas e rurais. A avaliação do SAEB contribui para a obtenção de um diagnóstico da Educação Básica, que também subsidiará a formulação, reformulação e o monitoramento das políticas públicas nas esferas municipal, estadual e federal.

De acordo com a superintendente de Gestão da Informação da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Cristiane Ferreira, o objetivo não é reprovar ou aprovar o aluno, mas obter um diagnóstico sobre o que os estudantes aprenderam em Língua Portuguesa e Matemática, durante os anos de estudo. “É muito importante a participação de todos os professores neste trabalho de sensibilização junto aos estudantes da rede, para que eles façam a prova de forma mais consciente e responsável”, afirma Cristiane Ferreira, ao acrescentar que as famílias também têm um papel fundamental no sentido de estimular os filhos a participarem deste processo.

As avaliações irão testar conteúdos ligados à leitura e interpretação de textos diversos (charges, piadas, tirinhas, contos, crônicas, cartas, fábulas, poemas, propagandas), no caso de Língua Portuguesa, e questões voltadas aos temas espaço e forma; grandezas e medidas; número e operações/álgebra e funções; e tratamento da informação, no caso de Matemática.

Nesta edição, o SAEB/Prova Brasil deixou de ser amostral para os estudantes do 3ª série do Ensino Médio e passou a ser censitária, envolvendo, também, os estudantes da 4ª série da Educação Profissional. As provas do SAEB serão aplicadas na Bahia pela Fundação Getúlio Vargas e o tempo para a realização é de duas horas e 30 minutos.

Cartilha – Os professores e gestores escolares podem obter maiores informações sobre o processo, através da Cartilha do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB). O material, publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), está disponível para download no Portal da Educação:www.educacao.ba.gov.br

 

Professores da rede estadual vivem a expectativa do Show de Pal McCartney em Salvador

 

Esta sexta-feira começou especial e tende a ser inesquecível para os professores da rede estadual de ensino contemplados com os ingressos para o show de Paul McCartney, às 21h30, na Arena Fonte Nova. Foram disponibilizados 600 pares de convites, via inscrição pelo Portal da Educação, graças a uma parceria das Voluntárias Sociais da Bahia com a Secretaria da Educação do Estado e a Arena Fonte Nova. Ingressos também foram disponibilizados para estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A entrega dos convites está sendo realizada desde às 8h no auditório da Secretaria da Educação do Estado, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. A professora de Inglês, Márcia Santos, 52, do Colégio Estadual Edivaldo Boaventura, no Stiep, em Salvador, veio cedo para receber o seu par de convites e estava visivelmente entusiasmada. “Eu vi a mensagem da promoção pelo WhatsApp e corri para me inscrever e fui contemplada. Foi uma surpresa maravilhosa. Eu passei a minha adolescência ouvindo os Beatles e ir para este show com Paul vai ser incrível. Vou cantar tudo que tenho direito”, comemora ao lado de outras colegas educadoras.

A diretora da Educação e suas Modalidades da Secretaria da Educação, Rowenna Brito, disse que a parceria com as Voluntárias Sociais e a Arena Fonte Nova foi pensada na perspectiva da inclusão. “Fizemos esta articulação para contemplar os professores pela passagem do dia 15 de outubro, como um reconhecimento pelo trabalho e dedicação à escola pública. Por outro lado, a parceria também contempla estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que, na sua maioria, não teria condições de participar de um mega-show como este e que, com certeza, além de mexer com as emoções, também é um espaço de ensino e aprendizagem para todos”, afirma.

Emoção é o que já está sentindo o professor Luiz Carlos Carvalho, 65, também professor de Inglês do Colégio Estadual Deputado Henrique Brito, em Brotas. “Isto é uma coisa da minha infância. Eu vi o surgimento dos Beatles, acompanhei todo o auge até a dissolução do grupo e a morte de alguns, como foi o caso de John Lennon. Assistir ao show de Paul McCartney será uma grande emoção. Desde ontem, quando consegui efetivar a inscrição, que já estou em êxtase”, festeja.

Moisés Oliveira, 50, professor e diretor do Colégio Estadual Hermano Gouveia Neto, em Lauro de Freitas, também veio cedo pegar os convites. Ele destacou a importância da iniciativa das Voluntárias Sociais da Bahia, da Secretaria da Educação e da Arena Fonte Nova. “Foi uma excelente iniciativa. Eu não tenho palavras para definir e espero me divertir muito com a minha esposa. Ela ficou tão surpresa e tão feliz quanto eu”, destaca.

Bom Jesus da Lapa ganha projeto Escolas Culturais para fortalecer a educação e a cultura no território

 

Com muita música, dança, teatro, fanfarra e grafitagem a comunidade escolar do Colégio Modelo de Bom Jesus da Lapa (779 km de Salvador) promoveu uma grande festa, nesta quinta-feira (19) para o lançamento do projeto Escolas Culturais. Com a presença do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, Bom Jesus da Lapa é a quarta cidade no Estado, depois de Itabuna, Juazeiro e Gandu, a receber a iniciativa, que integra o programa Educar para Transformar e tem como objetivo promover o protagonismo estudantil, além de reconhecer e requalificar a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida.
Pinheiro foi recepcionado pela fanfarra do Colégio Estadual Monsenhor Turíbio Vilanova e interagiu com a comunidade escolar, inclusive chegou a jogar capoeira com estudantes e participar da oficina de grafite. “O programa tem um aspecto muito vinculado a cada território, porque retrata o que temos de cultura local e a grande abertura, ou seja, a interação da escola com a cidade, a cidade com a escola, o aspecto cultural territorial, a identidade, então, portanto, tem um peso importante para um trabalho que já se faz na escola. O que nós vamos fazer não é nenhuma novidade para as nossas escolas da rede porque através dos projetos estruturantes essas escolas já praticam dança, arte, musica, audiovisual, ciência. Então, portanto, de uma qualidade extrema e principalmente de um envolvimento e Bom Jesus da Lapa tem um outro traço, há um aquecimento cultural, traço forte do que significa até do ponto da fé das pessoas e isso tem um aspecto muito importante e principalmente de sua gente”, destacou o secretário.
O projeto envolverá 85 unidades escolares, em 85 municípios. Segundo Pinheiro, a meta da Secretaria é implantar o projeto em 50 escolas neste ano. “Este é um dos programas importantes determinados pelo governador, como eu diria, um carro chefe para a escola derrubar os seus muros em relação à comunidade e ao mesmo tempo a escola também patrocinar. Este é um projeto para toda a cidade, todo o território, com manifestações artísticas e culturais de todas as escolas da cidade. A tarefa nossa é até o dia 31 de dezembro entregar em torno de 50 escolas sendo que as outras 31 completando as 85, nós faremos isso até o final de janeiro ou meados de fevereiro”, disse.
No lançamento, Pâmela Oliveira, 17, estudante do 3º ano, se apresentou junto com o “Coral Nobres Barranqueiros”, finalista do projeto de arte e cultura Encante 2017, que propõe a implantação do Canto Coral nos contextos escolares da rede estadual de ensino. “O Colégio Modelo sempre foi um celeiro de cultura. Estou muito feliz que estamos recebendo o projeto Escolas Culturais e abrir as portas para a comunidade, que sempre nos apoia durante os projetos estruturantes”, disse, emocionada.
Lucas Barbosa, 16, estudante do 2º ano, representou Gregório de Matos, na peça teatral, “A sutileza do poema no inferno sem pudor”, finalista do  Festival Estudantil de Teatro  (Feste). ” É muito bom saber que minha escola foi escolhida para ser uma escola cultural. Nós já vivemos cultura aqui, agora ganhamos reconhecimento, porque o Modelo vive arte”.
O projeto Escolas Culturais é resultado de parceria entre as secretarias da Educação, de Cultura (Secult), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Casa Civil. O vice-prefeito do município, Carlos Costa, participou da solenidade, representando o prefeito Eudes Ribeiro, que é presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), além do deputado Estadual, Eduardo Salles. Todas as escolas que recebem o projeto ganham um padrinho, que é um membro da comunidade que se destaca na arte e na cultura. No caso da escola de Bom Jesus da Lapa, o padrinho é o capoeirista Mestre Fazinho.

Encontro reúne líderes de classe das escolas estaduais de Salvador e Região Metropolitana

 

Dia inteiro dedicado às artes, à cultura, ao diálogo e à educação. Assim foi esta quarta-feira (18) para os estudantes e líderes de classe das 289 escolas de 13 municípios ligados ao Núcleo Territorial de Educação de Salvador (NTE 26), que lotaram o auditório da Escola Parque, no bairro da Caixa D´Água, em Salvador. Eles participaram da culminância da etapa regional dos projetos artísticos e culturais estruturantes dessas unidades escolares. Em paralelo, foi realizado o Encontro Territorial de Líderes de Classe, evento que vem sendo realizado pela Secretaria da Educação do Estado em todos os Territórios, em datas distintas.
Sob o olhar atento do júri, formado por artistas regionais, a exemplo do ator e apresentador Jackson Costa, estudantes de 40 escolas do NTE 26 finalistas da etapa regional apresentaram suas obras voltadas aos oito projetos estruturantes: Festival Anual da Canção Estudantil (FACE), Artes Visuais Estudantis (AVE), Tempos de Arte Literária (TAL), Festival Estudantil de Teatro (Feste), Produção de Vídeos Estudantis (Prove), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Canto Coral Estudantil (ENCANTE) e o Dança Estudantil (DANCE). Já os líderes de classe (um líder por escola) participaram de rodas de conversa sobre temas diversos, como empoderamento juvenil; luta por igualdade de gênero; juventude e participação política; e liderança no contexto escolar.
Os estudantes Jhonny Chagas, 21, e Wendson Santos, 18, do Colégio Estadual Martinho Salles Brasil, no município de São Francisco do Conde, que se apresentaram pelo projeto DANCE como dupla, arrancaram aplausos da plateia com a sua performance. “A gente dança há uns quatro anos e o DANCE surgiu como uma oportunidade de divulgarmos a nossa dança para um maior número de pessoas e, com elas, nos divertimos”, disse Jhonny.
Já Lohanna Bibiano, 17, estudante do 3º ano do Colégio Estadual Presidente Costa e Silva, em Salvador, e presidente do grêmio estudantil da unidade escolar, destacou a importância do Encontro Territorial de Líderes de Classe. “A eleição de líderes de classe, implantada pela Secretaria da Educação há dois anos, tem sido muito importante para a democratização da escola e este encontro serve para reforçar o papel do líder de ponte entre os alunos e a direção”.
O líder de classe Carlos Eduardo dos Santos, 16, do Colégio Estadual Bolivar Santana, também na capital baiana, reforçou a importância do evento: “Este encontro contribui para aumentar a interação e a união entre os estudantes. Participar como líder da minha escola é uma honra e me sinto no dever de representar os meus colegas da melhor forma”.
Encontro e culminância – O coordenador de Articulação com os Núcleos Territoriais de Educação (CONTE), José Barreto, ressaltou a qualidade dos projetos artístico-culturais estruturantes e a importância do encontro de líderes de classe: “Fico encantado com a beleza das experiências artísticas das escolas da rede, com o talento dos nossos estudantes. Não há tecnologia capaz de produzir a emoção passada nos trabalhos. Também fico honrado em participar de um encontro com líderes estudantis, que estão inseridos neste processo de democratização da escola e transformação da Educação”.
O diretor do NTE 26, Luiz Henrique Peixoto, reforça a importância dos encontros com líderes de classe. “Nosso objetivo é promover o empoderamento da juventude, é escutar os estudantes neste importante momento de troca de experiências para que eles, unidos, possam conquistar melhorias para as escolas, visando uma educação integral, que passa pela produção de arte nas unidades, em sintonia com os seus desejos dentro do seu processo de ensino e aprendizagem”.

Estudante de Feira de Santana conquista Campeonato Brasileiro de Orientação

 

A estudante Geovana Teles, 14, que cursa o 9º ano no Colégio Estadual Rotary, localizado em Feira de Santana (99,3 km de Salvador), está se destacando no cenário nacional como uma das maiores atletas de orientação do país na sua categoria. Ela conquistou o 1° lugar no XIX Campeonato Brasileiro de Orientação (CAMBOR). A final do campeonato, que contou com 2 etapas anteriores (uma em Minas Gerais e outra no Rio de Janeiro), ocorreu no último fim de semana, em uma reserva ecológica da Mata Atlântica situada na Praia da Pipa, em Timbau do Sul, no Rio Grande do Norte (RN).

No esporte de Orientação, o atleta precisa passar por pontos de controle marcados em um determinado terreno no menor tempo possível, utilizando um mapa e uma bússola. Para a prática da modalidade, são utilizados cenários naturais atrelando o esporte à preservação do meio ambiente.

Esta não é a primeira vez que a jovem atleta ganha destaque em campeonatos. Ela é bicampeã no Campeonato Metropolitano e no Campeonato Baiano, nos quais competiu em 2015 e 2016. No próximo mês, a estudante participará mais uma vez das competições, podendo levar para casa mais troféus e conquistar o título de tricampeã. Além disso, também irá participar da Copa Nordeste de Orientação, que será realizado em dezembro, na Paraíba (PB).

Geovana Teles, que pratica o esporte desde 2014, está radiante com o resultado. “Foi surreal! Nunca pensei que algum dia eu poderia ser campeã brasileira de orientação e estou muito feliz. Minha expectativa é de manter o ritmo e continuar buscando a vitória”, diz empolgada, para competir nos próximos campeonatos.

O foco, a força e a determinação de Geovana vem da família. Além dela, o irmão mais velho, Guilherme, também participa dos campeonatos. Todos são inspirados na mãe Erika Teles. É que além de ser a principal torcedora dos filhos, Erika é a treinadora e também atleta. Outra função que ocupa é de professora de Ciências no Colégio Assis Chateaubriand. Mestre em Ciências Ambientais e fisioterapeuta, a professora Érica alia os conhecimentos técnicos e a paixão pelo esporte para melhorar, ainda mais, a performance dos filhos. Ela não esconde o orgulho das conquistas que estão chegando.

“Geovana é uma garota muito aplicada e determinada. A prática esportiva melhorou ainda mais o seu desempenho na escola, porque desenvolve o raciocínio lógico, a autoestima, as relações interpessoais, além de ajudar nas disciplinas, pois o esporte possui uma linguagem interdisciplinar. No campeonato, o atleta precisa fazer uma leitura de mapas e códigos para que possa tomar decisões rápidas e definir a melhor rota do percurso a ser corrido e, isso, melhora a compreensão de localização”, ressalta Erika, sobre os benefícios do esporte.

Cartilha orienta professores e gestores a aplicação da Prova Brasil

Os professores e gestores escolares já podem acessar a Cartilha do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB). O material, publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), contém orientações sobre a aplicação e sobre a importância da Prova SAEB, também conhecida como Prova Brasil, para as escolas. Acesse a cartilha no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br)

As provas serão realizadas em um único dia nas escolas, no período de 23 de outubro a 1º de novembro, conforme agendamento prévio feito pela empresa responsável pela aplicação. Esta avaliação é fundamental para o replanejamento de ações pedagógicas, visando a melhoria dos processos de ensino e de aprendizagens.

A avaliação inclui estudantes do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, da 3ª  série do Ensino Médio e da 4ª série da Educação Profissional, contemplando as escolas públicas das zonas urbanas e rurais. A superintendente de Gestão da Informação da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Cristiane Ferreira, afirma que a avaliação do SAEB contribui para a obtenção de um diagnóstico da Educação Básica, que também subsidiará a formulação, reformulação e o monitoramento das políticas públicas nas esferas municipal, estadual e federal.

Neste sentido, ela chama a atenção para o envolvimento dos professores e dos estudantes de modo a qualificar o resultado. “O objetivo não é reprovar ou aprovar o aluno, mas obter um diagnóstico sobre o que os estudantes aprenderam em Língua Portuguesa e Matemática, durante os anos de estudo. É muito importante a participação de todos os professores neste trabalho de sensibilização junto aos estudantes da rede, para que eles façam a prova de forma mais consciente e responsável”, afirma Cristiane Ferreira, ao acrescentar que as famílias também têm um papel fundamental no sentido de estimular os filhos a participarem deste processo.

As avaliações irão testar conteúdos ligados à leitura e interpretação de textos diversos (charges, piadas, tirinhas, contos, crônicas, cartas, fábulas, poemas, propagandas), no caso de Língua Portuguesa, e questões voltadas aos temas espaço e forma; grandezas e medidas; número e operações/álgebra e funções; e tratamento da informação, no caso de Matemática.

Abertas as inscrições para formação de mediadores do EMITec

 

A Secretaria da Educação do Estado está com inscrições abertas, até o dia 15/9, para o curso de formação dos mediadores do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITec). Estão sendo ofertadas 1.200 vagas para os mediados, que já estão atuando no programa e para os que estão ingressando no segundo semestre de 2017 pelo processo seletivo simplificado em Regime Especial de Direito Administrativo (REDA). A inscrição deverá ser realizada através de formulário eletrônico, localizado na página principal do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do EMITec, com acesso por meio do endereço eletrônico http://emitec.educacao.ba.gov.br/login/index.php.

O EMITec é um programa da rede estadual, por meio do qual, os estudantes que moram em áreas longíncuas da Bahia podem fazer e concluir o Ensino Médio. Atualmente, o programa beneficia 21 mil estudantes, em 414 localidades de 150 municípios. “O medidor tem um papel fundamental na metodologia do EMITec. É que as aulas são transmitidas via satélite, em tempo real, diretamente do Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, e ministradas por professores da rede estadual. Os mediadores ficam nas telessalas, fazem a interlocução de dúvidas entre os estudantes e os professores do estúdio”, afirmou a diretora do EMITec, Letícia Machado, ao acrescentar que cabe ao mediador, também, a aplicação das avaliações, que são por área e interdisciplinares. A comunicação também é realizada via chat.

Sobre o curso
Durante a formação continuada, os mediadores são estimulados à uma reflexão sobre as suas atribuições e interlocução com os diversos setores, bem como poderão compreender a estrutura organizacional do EMITec, as funções de cada setor e o fluxo de operacionalização das atividades. Para isto, o curso está organizado em dois blocos de estudos.

No primeiro, serão realizados diálogos e leituras que introduzem as discussões sobre a estrutura organizacional do EMITec e as atribuições dos setores de Secretaria e de Estúdio. No segundo bloco, serão abordados a Proposta Pedagógica e o Sistema de Avaliação, dando ênfase às atribuições do mediador e à ética profissional no espaço de trabalho. O curso será realizado utilizando a mesma metodologia de aulas do EMITec, com calendário a ser divulgado posteriormente.

Vamos estudar e aprender com a Bahia”, diz prefeito chinês a Rui

Foto: Carlos Prates/GOVBA
Após conhecer o porto da cidade de Tianjin neste domingo (3), na China, o governador Rui Costa se reuniu com o prefeito do município chinês, Wang Dongfeng, o vice-prefeito de Tianjin, Zhao Haishan, e outras autoridades locais. Também estavam presenres os secretários estaduais Walter Pinheiro (Educação), Bruno Dauster (Casa Civil), Fábio Vilas-Boas (Saúde) e Jaques Wagner (Desenvolvimento Econômico). Durante o encontro, o gestor municipal disse que Tianjin e a Bahia têm uma relação muito amistosa e um intercâmbio frequente na área do comércio.
“Eu acredito que a Bahia tem boas ações em desenvolvimento e, através dessa visita do governador Rui Costa, eu quero ampliar a cooperação, em especial, no intercâmbio de tecnologia, portos e ferrovia para alcançarmos benefícios mútuos. Vamos estudar e aprender com a Bahia. As empresas de Tianjin podem investir mais na Bahia, que tem um mercado enorme”, afirmou Wang Dongfeng.
O governador Rui Costa disse ao prefeito de Tianjin que acredita que o Porto Sul e a Ferrovia Oeste-Leste vão aproximar a Bahia e Tianjin. “Com isso, estaremos construindo uma alternativa de tráfego ao Canal do Panamá e aumentando as negociações entre Brasil e China”, disse o gestor baiano.
Ainda segundo Rui, o desejo do Governo do Estado é, em parceria com o governo de Tianjin, poder replicar na área do Porto Sul, em Ilhéus, a Zona de Livre Comércio que existe em Tianjin. “Temos um espaço de cooperação com enorme potencial para crescer. Já temos um comércio extenso com a China tanto exportando quanto importando. Desejamos aumentar essa integração e nossa visita aqui foi para buscar investimentos. Queremos convidar as empresas chinesas para aumentar a parceria conosco. Além da área comercial e econômica, nosso desejo é fazer intercâmbio na área social, em saúde e educação. Há um desejo latente de firmar parcerias cada vez mais fortes a partir de hoje”, comentou o governador.
Em julho deste ano, Rui assinou em Salvador um memorando de entendimento com o Governo de Tianjin. O documento visa promover cooperação nas mais diversas áreas, como o comércio e a indústria. Também em julho deste ano, a comitiva do Governo de Tianjin, além de passar por Salvador, foi a Ilhéus para conhecer a Zona de Processamento de Exportação e demonstrou interesse em estreitar as relações bilaterais.

Grafitaê muda relação de alunos com escola em Pau Miúdo

 

Foto: Carol Garcia/GOVBA

Nos muros do Colégio Estadual Marquês de Maricá, no bairro de Pau Miúdo, em Salvador, a arte do grafite expressa mensagens de empoderamento juvenil, pedidos de paz e amor, além de revelar preocupações com o tempo e com o racismo. Tudo escolhido, proposto e realizado pelos alunos da escola por meio do projeto ‘#Grafitaê: Escola conta e pinta a sua história’, da Secretaria da Educação do Estado.

O objetivo da iniciativa é levar a liberdade de expressão e a criatividade para as unidades de ensino, promovendo a interação entre os alunos. Mas o projeto tem ido além. Estudantes, professores e gestores revelam que a relação dos jovens com o ambiente escolar têm melhorado com o avanço do projeto de arte-educação.

Nesta sexta-feira (31), o Colégio Marquês de Maricá se despediu do projeto, que vai passar por 270 escolas estaduais até o fim de novembro. Para comemorar o sucesso do Grafitaê na unidade, os alunos apresentaram espetáculos de dança e de teatro. Segundo a professora de artes, Rita Leone, o grafite virou uma espécie de organização daquilo que passa na cabeça dos alunos. “Eles foram traduzindo angústias, expectativas, desejos, coloriram as dúvidas e transformaram tudo em arte. Isso é muito positivo para que esses jovens se sintam acolhidos em suas dúvidas”, explica a professora.

Para a diretora da instituição, Ângela Araújo, a iniciativa muda a relação do jovem com a escola e além dos muros. “O projeto, as oficinas e todas as atividades pedagógicas envolvidas melhoram muito a convivência, o processo de interação dos alunos com a escola, dos alunos com os professores e com toda a comunidade. Estimulam o protagonismo juvenil e melhoram muito as relações interpessoais dentro da unidade escolar. Quando o aluno tem um identidade e cria uma afinidade com a escola, ele consegue ter a sensação de pertencimento. Isso faz muita diferença no desempenho, no desejo de estar na escola e no processo de preservação do patrimônio. É algo que ficou muito evidente na caminhada desses meninos”, conta a diretora.

Processo criativo
Segundo o arte-educador e artista visual Denissena, o processo criativo aconteceu de forma muito natural com os estudantes do Colégio Marquês de Maricá. “A ideia sempre sempre foi estimular esses jovens que, desde o primeiro momento, apresentaram muito interesse em produzir. Esse processo foi bem orgânico. Cada um traz uma ideia, um sentimento e temas como diversidade cultural, empoderamento juvenil, respeito pelas diferenças e combate à intolerância religiosa. A arte tem essa contribuição de fazer as pessoas questionarem, e nada melhor do que trazer isso para dentro das escolas”, afirma o artista.

Para a aluna do 1º ano, Carolaine Nascimento, a arte é, sobretudo, uma forma de expressão. “Para mim foi uma experiência incrível porque escola não é só estar dentro das salas de aula, aprendendo as matérias básicas. A gente aprende aqui o que a gente vai usar para a vida. Eu gostei muito porque pude me expressar. O desenho que eu propus fala sobre isso: ser quem você quer, sem precisar de rótulos. A arte é uma forma diferente de falar”, destaca a estudante.