Colégio estadual apresenta projetos culturais para a comunidade do Território da Bacia do Paramirim

 

 

DSC_8086 DSC_8078 DSC_8154 DSC_8175

O Colégio Estadual Cônego Firmino Soares, localizado em Macaúbas, promoveu a apresentação do projeto “Escolas Culturais – Um Novo Espaço de Cultura” para professores, estudantes e comunidade local, na última quinta-feira (17/05). A atividade foi coordenada pelos professores Nardanael Fernandes e Beatriz Bastos e contou com a participação da Filarmônica Nossa Senhora da Imaculada Conceição, que está comemorando 70 anos de existência e apresentações das rodas de capoeira, maculelê e samba do Ponto de Cultura Capoeira César, além do documentário “Reis do Sertão: um olhar sobre os reis de Macaúbas”, produzido por Pablo Antônio e Josiane Barbosa.

O projeto Escolas Culturais tem o objetivo de dinamizar a cultura em todo o Estado e incentivar o uso da escola como equipamento cultural e de interação social. Ao todo, serão implantadas Escolas Culturais em 85 municípios da Bahia, distribuídos nos 27 Territórios de Identidade. Entre outros resultados o projeto visa colaborar com a redução dos índices de vulnerabilidade infanto-juvenil, violência e a evasão escolar, promovendo atividades sociais, educacionais e culturais por meio de ações diversas sempre dialogando com audiovisual, a música, a dança, as artes literárias e demais expressões artísticas, além da participação da Rede de Proteção Social do município.

Ao longo dos próximos meses serão realizados eventos socioculturais em todo Estado, entre apresentações teatrais, de dança, música, saraus literários, exposições de artes visuais e tantas outras iniciativas para estabelecer um ambiente de troca entre os saberes produzidos na escola e os saberes populares tradicionais de idosos, mestres e mestras, artistas e fazedores de cultura das comunidades. Trata-se de uma ação do Governo do Estado, desenvolvida por meio da iniciativa interinstitucional firmada entre as Secretarias da Educação (SEC), Cultura (SECULT) e Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), com a participação do Instituto de Ação Social Pela Música (IASPM) na gestão.

Diretrizes da Educação Inclusiva são discutidas com técnicos do Conselho Estadual de Educação

download (3) download (4)

A Secretaria da Educação do Estado promoveu, nesta sexta-feira (18), uma formação sobre temáticas da Educação Inclusiva com os técnicos do Conselho Estadual de Educação (CEE), realizada dentro do projeto “Diálogos Inclusivos”. A primeira aula de uma série, que deverá ser realizada a cada 15 dias, foi ministrada pela coordenadora da Educação Inclusiva da Secretaria da Educação do Estado, Patrícia Braille, e tratou, especialmente sobre as Diretrizes da Educação Inclusiva na Bahia. Este documento consolida a política da Educação Inclusiva na Bahia e orienta as práticas pedagógicas dos professores e a organização das estruturas escolares.

“Este projeto faz parte das estratégias de implementação das Diretrizes da Educação Inclusiva dentro dos órgãos públicos. Estamos dialogando com o pessoal do CEE sobre temas sistemáticos, como deficiência visual, deficiência intelectual, superdotação, enfim todas as áreas relativas à Educação inclusiva. Fizemos uma dinâmica do aprendizado do Braille, mostrando para os técnicos do CEE que é possível aprender o sistema de escrita dos deficientes visuais”, destacou.

Durante a sua intervenção, a gestora destacou, também, os projetos da Secretaria e as estruturas de atendimento para pessoas com deficiência, a exemplo dos Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP). A rede estadual conta com Atendimento Educacional Especializado (AEE), que está disponível, atualmente, para mais de oito mil estudantes com necessidades educacionais especiais. São 65 Salas de Recursos Multifuncionais (SEM), 12 Centros de Atendimento Educacional Especializado e seis instituições conveniadas. Os alunos também são atendidos nas escolas da rede e nos Centros de Educação Especial, dentro de suas especificidades, para que possam participar ativamente do ensino regular. No ato da matrícula, a família pode escolher a escola da sua conveniência e a Secretaria providencia os meios para que o estudante acesse e permaneça na referida unidade escolar

O diretor assistente do CEE, Remi Bonfim, ressaltou a importância de os funcionários do Conselho se inteirarem da pauta da Educação Inclusiva. “Este é o nosso primeiro momento interno de formação. Esta pauta entra como parte dos regimentos que aprovamos aqui. Deste modo, Patrícias Braille está trazendo a questão do avanço da legislação e nos atualizando. Também faremos formação voltada à Educação no Campo, Educação Indígena, entre outras”.

 

Estudantes com deficiência visual participam de atividades artísticas e culturais no Museu da Misericórdia

download (1) download (2) download

Estudantes do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP) – unidade da rede estadual de ensino – se reuniram, nesta sexta-feira (18), em torno de mais um momento artístico-cultural. Trata-se da terceira edição do projeto itinerante “Sextas Culturais”, realizado, desta vez, no Museu da Misericórdia, no Centro Histórico de Salvador. O evento, que aconteceu no Dia Internacional do Museu, envolve apresentações musicais, cênicas, de dança e de artes visuais, além de palestras e rodas de conversa, visando ampliar as possibilidades de inclusão socioeducacional da pessoa com deficiência visual, dentro da concepção de que a interação deva acontecer a partir de diversas linguagens e manifestações humanas.

Cristovão de Oliveira, 39, estudante do CAP há dois anos, falou com entusiasmo sobre as “Sextas Culturais” e o trabalho realizado no centro. “Acho muito importante a realização de eventos como este, porque mostra para a sociedade que somos pessoas capazes e que, portanto, devemos ser integradas tanto ao mundo do trabalho como às atividades artística-culturais. Por conta do CAP, me sinto hoje incluído, minha autoestima melhorou e tenho o respeito que mereço ter das pessoas”.

Há mais de dez anos no CAP, João Alcides, 45, se orgulha de ter aprendido Braille na instituição, mobilidade, tocar violão e jogar bola. “Hoje ensino violão a meus colegas e ajudo a eles na defesa pessoal. É muito interessante este trabalho de inclusão social que o CAP promove, porque mostramos à sociedade que somos iguais, somos capazes de estudar, de trabalhar, de viver como qualquer pessoa. A nossa deficiência não é motivo para sermos excluídos”.

A mãe do aluno Nilton Oliveira Cardim, 27, Luzia Cardim, assídua nas “Sextas Culturais”, comentou a evolução do filho desde que entrou no CAP, há três anos. “Ele, hoje, toca teclado e percussão e ainda participa do coral. Antes, ele era mais dependente, não andava nem até ao banheiro sozinho. Este evento aqui só consolida o importante trabalho que é realizado no CAP”.

 

Exposição interativa – Durante o evento, os estudantes do Coral do CAP se apresentaram, bem como o grupo de percussão do centro chamado Batucaixa. Além disso, foi lançado o livro Príncipe Negro, do professor Hélio Bacelar, e os visitantes puderam apreciar a exposição interativa em tecnologia assistiva, que reuniu alguns recursos pedagógicos que são utilizados na Educação Inclusiva para pessoas com deficiência visual, como máquina braile, bengala, braillito e reglete (ambos para o aprendizado do braile) e soroban (instrumento matemático), além de equipamentos para pessoas com baixa visão, como a régua de leitura e a lupa eletrônica.

O diretor do CAP, Rivelto Carvalho, destacou a relevância de eventos que abordam diversas linguagens. “As Sextas Culturais é um projeto que a gente sempre insere uma temática que é abordada em roda de conversa e, desta vez, foi ‘Nada sobre nós sem nós’, que significa que nenhuma decisão relacionada ao deficiente visual pode ser tomada sem a participação deles. A gente acredita que este evento é mais uma forma de expressão na busca de incluir essas pessoas na sociedade, dando um sentido mais plural às políticas de inclusão, buscando avançar ainda mais”.

A terceira edição do projeto ‘Sextas Culturais’ foi realizado em parceria com o Museu da Misericórdia, com o apoio da Sessão de Braille da Biblioteca Central do Estado da Bahia e do Instituto de Cegos da Bahia. A museóloga Osvaldina César falou sobre a importância de acolher o trabalho do CAP na ocasião das comemorações da Semana do Museu, no Museu da Misericórdia. “É uma forma de aproximarmos o deficiente visual ao museu e sensibilizar a sociedade para uma experiência interativa que visa a inclusão social dessas pessoas”.

Secretaria da Educação do Estado lança concurso de vídeos sobre Educação para a Saúde

download (9) download (10)

A Secretaria da Educação do Estado lançou, nesta sexta-feira (18), por meio de publicação no Diário Oficial do Estado (DO), o concurso público de vídeos educativos direcionado a estudantes regularmente matriculados na rede estadual de ensino, com o tema central ‘Educação para a Saúde’. O concurso será realizado de 18 de maio a 9 de novembro de 2018, e envolverá as etapas escolares, territorial e a seleção por uma comissão julgadora da Secretaria da Educação do Estado. O resultado final deverá ser divulgado no dia 20 de novembro de 2018 e a premiação está programada para o dia 14 de dezembro. Os estudantes vencedores serão premiados com máquinas fotográficas.

“Esta é mais uma iniciativa que estamos adotando para fortalecer o eixo pedagógico das escolas e promover o protagonismo estudantil, uma vez que a atividade leva a uma reflexão sobre a temática e fortalece as práticas educativas voltadas à Saúde. Portanto, com o concurso, estamos estimulando ações de prevenção e promoção à saúde na escola, na perspectiva do desenvolvimento integral dos estudantes e com o engajamento dos nossos professores”, afirmou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

De acordo com o edital, os vídeos de curta metragem devem ter até cinco minutos, com caráter educativo/propositivo. As filmagens podem ser feitas com aparelhos celulares, tablets, máquinas fotográficas digitais ou filmadoras e deverão ser gravadas em CD ou DVD. Embora o concurso tenha o tema central, também poderão ser abordados os seguintes subtemas: Prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST); Controle do Aedes aegypti e Prevenção às Arboviroses (Dengue, Chikungunya, Zika, entre outros); Prevenção ao uso de Álcool, Tabaco e outras Drogas; Promoção à  Alimentação Saudável; Promoção da Saúde Ambiental e Sustentabilidade Socioambiental; Promoção a Cultura de Paz e Respeito à vida.

Das inscrições – As unidades escolares devem divulgar e promover a realização de atividades que contribuam para a elaboração de um roteiro que servirá como referência na produção dos vídeos protagonizados pelos estudantes, sob a orientação de um professor, no período de 18 de maio a 06 de setembro. Após esta etapa, a unidade escolar deverá enviar os vídeos selecionados, um de cada subtema, para representá-la na etapa territorial, acompanhados dos formulários constantes nos anexos do edital (ficha de inscrição, termo de responsabilidade, termo de cessão de direitos autorais e ficha de acompanhamento unidade escolar/NTE), devidamente preenchidos, até 24 de setembro, para os Núcleos Territoriais de Educação (NTE). Cada NTE selecionará até 07 (sete) vídeos, sendo, obrigatoriamente, um de cada subtema, que irá representar o mesmo na etapa estadual.

Acesse o edital e saiba mais: www.educacao.ba.gov.br

 

Pesquisadores brasileiros e estrangeiros contextualizarão a Educação no século XXI durante o Virtual Educa Bahia 2018

download (8)

A Educação no século XXI e a sua interface com a inclusão, a diversidade, o meio ambiente, a inovação, a tecnologia e com a formação docente, estão entre as abordagens que serão feitas por diversos pesquisadores de instituições nacionais e internacionais durante o XIX Encontro Internacional Virtual Educa. Este é um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação, que será realizado entre os dias 4 e 8 de junho, no Centro de Formação e Eventos da Secretaria da Educação do Estado (no antigo ICEIA), em Salvador, com participação de países da América Latina, Caribe e África. O ciclo de palestras será iniciado no dia 5 de junho e o Virtual Educa Bahia 2018 terá como tema geral a “Educação para transformar a sociedade em um espaço único multicultural”.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, falou sobre a importância de a Bahia sediar o Virtual Educa, agregando renomados pesquisadores da Educação. “É um encontro para debater, conhecer e compartilhar experiências. A partir daí, teremos condições de trilhar novos caminhos. É por isso, também, que iremos realizar o encontro no antigo ICEIA, que está sendo transformado em um novo espaço, repaginado para esse novo tempo. Espero que, a partir de agora, possamos realizar todos os eventos de Educação no local. O Virtual Educa servirá, ainda, para que possamos fazer leitura dessas transformações pedagógicas que estamos implementando na rede estadual de ensino”, afirmou.

Entre os palestrantes nacionais, estarão no Encontro: Michella Lima Lasmar, da empresa Samsung, que abordará o tema “O Ocean Lab e a Educação do século XXI”; Mirella Lima, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que apresentará o tema “Entre “Rios e Oceanos: o local e o internacional em processo de formação”; Vani Kenski, da Universidade de São Paulo (USP), com o tema “Formação docente para a empatia, colaboração e cocriação”; Nilma Lino Gomes, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que abordará sobre “Desafios da Inclusão e Diversidade na Educação do século XXI” e Sidarta Ribeiro, da Universidade do Rio Grande do Norte (UFRN), com o tema “Por um Cultivo Ecológico da Mente”.

Já os palestrantes internacionais do primeiro dia do ciclo de palestras serão: Ruth Contreras, da cidade de Barcelona, na Espanha, que apresentará o tema “Quando os fãs assumem o controle: motivações, práticas, papéis e aprendizagem informal com mods”, e Ana Isabel Veloso, da cidade de Aveiro, em Portugal, que destacará a “A inclusão do idosos no design das Tecnologias da Informação e Comunicação: desafios e oportunidades”.

A programação do evento também inclui conferências, que contarão com as presenças do governador Rui Costa e do secretário da Educação do Estado da Bahia, Walter Pinheiro. Dentre os conferencistas, também estão: Christian Miranda, U.C. Chile, que estará na conferência “El silencioso abandono de la formación integral del educador del siglo XXI”; João Salles, da UFBA, que participará da conferência “UFBA e o ensino do século XXI”, e representantes da UNICEF/BNDES, que estarão na conferência “Programas de apoio a Educação na Parceria UNICEF/ BNDES”.

Saiba mais sobre o Virtual Educa Bahia 2018: www.educacao.ba.gov.br

Secretaria da Educação do Estado orienta gestores para o registro da frequência escolar no Programa Bolsa Família

download (7)

 

A Secretaria da Educação do Estado está divulgando o Calendário do Acompanhamento da Condicionalidade da Educação do Bolsa Família 2018, para que as escolas encaminhem ao Ministério da Educação o registro da frequência escolar dos alunos beneficiários do programa. O acompanhamento da frequência escolar é realizado ao longo de cinco períodos do ano e os profissionais da Educação fazem a coleta das informações e o registro da frequência por meio do Sistema de Acompanhamento da Frequência Escolar do Bolsa Família, o Sistema Presença. O segundo período para a impressão dos formulários começa, nesta quinta-feira (17), compreendendo o bimestre abril e maio.

A frequência escolar no Programa Bolsa Família é uma ação que envolve a coleta, o processamento e o acompanhamento bimestral dos estudantes na escola. A rede de acompanhamento no Estado inclui os municípios, as escolas e a participação de coordenadores, auxiliares e gestores escolares, que exercem o papel de municiar o Sistema Presença, do MEC, com as informações dos estudantes. Neste processo, os gestores são mobilizados para coletar e acompanhar as informações individualizadas dos estudantes, que representam mais de um terço das matrículas da Educação da rede estadual de ensino da Bahia.

A superintendente da Informação Educacional da Secretaria da Educação do Estado, Cristiane Ferreira, disse que estas informações são estratégicas para o fortalecimento da política educacional e chama a atenção para a observância dos prazos. “É muito importante que as escolas sigam este calendário enviado pelo Ministério da Educação, permitindo assim a correta coleta e o registro da frequência escolar dos alunos beneficiários do Programa Bolsa Família. Afinal, um dos objetivos destas condicionalidades ou compromissos assumidos pelas famílias beneficiárias é reforçar o acesso à Educação, contribuindo para garantir a inclusão educacional de crianças e adolescentes”, afirmou, ao salientar que a coleta também permite identificar possíveis situação de descumprimento, como é o caso de estudantes com baixa frequência escolar, para que o poder público possa adotar medidas de auxílio e acompanhamento às famílias.

 

Experiências de alfabetização do TOPA serão apresentadas no Virtual Educa 2018

download (6)

A programação do XIX Encontro Internacional Virtual Educa – um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação, que será realizado entre os dias 4 e 8 de junho, no Centro de Formação e Eventos da Secretaria da Educação do Estado (no antigo ICEIA), também contará com o Seminário de Socialização dos Resultados da Aplicação dos Testes Cognitivos da 10ª Etapa do Programa Todos pela Alfabetização (TOPA), além de experiências de alfabetização. A atividade contará com uma palestra com o presidente de honra do Instituto Paulo Freire, Moacir Gadotti, em celebração aos 50 anos da Pedagogia do Oprimido, do educador Paulo Freire. As atividades acontecem no dia 6 de junho, das 8h30 às 17h30, no local do evento.

Segundo a coordenadora de Projetos Especiais da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Elenir Alves, a ideia da atividade é resgatar o legado de Paulo Freire. “Estaremos com representantes de prefeituras que executaram o TOPA nesta décima etapa, com representantes de entidades dos movimentos sociais e sindicais, além de pessoas que já se alfabetizaram pelo programa. Vai ser muito interessante, porque vamos socializar três experiências exitosas da décima etapa do TOPA. Outro destaque será a palestra com Moacir Gadotti, que abordará o tema 50 Anos da Pedagogia do Oprimido: inquietações e perspectivas”, destaca.

Elenir Alves também informa que, paralelamente, acontecerão outras ações, a exemplo da mobilização dos municípios em parceria com a UNICEF, na adesão da metodologia da busca ativa de crianças que estão fora da escola. “A UNICEF vem desenvolvendo um trabalho em todo o Brasil e a Bahia também adotará esta metodologia para identificar por quais razões algumas crianças estão fora da escola. O Estado fará a adesão e a Secretaria, enquanto Estado, convidará os municípios para aderir à essa metodologia da UNICEF. Além disso, também iremos prestar atendimento aos municípios no estande da União Na­ci­onal dos Di­ri­gentes Mu­ni­ci­pais de Edu­cação (UNDIME-BA), pois a Secretaria trabalha nesse regime de colaboração com os municípios ”, explica.

Sobre o TOPA – O Programa Todos pela Alfabetização (Topa), desenvolvido pelo Estado em parceria com o Governo Federal e com apoio dos municípios e entidades sociais e sindicais. Com o Topa, 1,5 milhão de jovens acima de 15 anos, adultos e idosos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular, foram alfabetizados.

Estão abertas as inscrições para 14 mil vagas no curso pré-vestibular Universidade para Todos

download (4) download (5)

 

Começam, nesta quarta-feira (16), as inscrições para o processo seletivo dos estudantes interessados em participar do curso pré-vestibular do Programa Universidade para Todos (UPT), promovido pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Estão sendo destinadas 14 mil vagas. A inscrição, que segue até o dia 23, é gratuita e está disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). As aulas serão realizadas de 5 de junho a 14 de dezembro.

Serão ofertadas as disciplinas Português, Redação, Matemática, Física, Química, Biologia, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), História e Geografia. “Este programa tem um caráter de inclusão muito importante, porque é oferecido para aqueles jovens que mais precisam e envolve as nossas quatro universidades estaduais, por meio de um projeto pedagógico que prepara os estudantes para o ingresso no Ensino Superior”, destacou o secretário da Educação do Estado da Bahia, Walter Pinheiro.

O UPT é destinado a estudantes da rede pública matriculados, em 2018, no 3º ano do Ensino Médio regular estadual ou municipal ou suas modalidades correspondentes; que tenha cursado em escola pública municipal e/ou estadual no Estado da Bahia, o Ensino Fundamental II – 5ª à 8ª séries, atual 6º ao 9º ano ou modalidades correspondentes; e 1ª e 2ª séries do Ensino Médio regular ou modalidades correspondentes.

No ato da inscrição o candidato deverá fazer opção para um único município, local de funcionamento e turno que deseja cursar, bem como preencher integralmente o formulário de inscrição. A relação oficial dos candidatos selecionados será disponibilizada no dia 30 de maio, no endereço www.educacao.ba.gov.br/universidadeparatodos, nos sites das universidades estaduais e afixada nos locais em que funcionarão as turmas do curso.

Matrícula – Após a publicação dos resultados, os selecionados serão convocados para a realização da matricula, que acontecerá de 5 a 8 de junho, no local e turno que optaram para cursar. A matrícula somente poderá ser realizada pelo próprio candidato, assistido ou representado pelo pai, mãe ou responsável, se menor de 18 anos, ou por representante munido de procuração com firma reconhecida em cartório.

No ato da matrícula, o candidato deverá apresentar cópia, acompanhada de original, dos seguintes documentos: carteira de identidade e CPF, comprovante de residência; e histórico escolar do Ensino Fundamental II – 5ª à 8ª séries, atual 6º ao 9º ano ou modalidades correspondentes, além de documentos específicos referentes à sua situação atual conforme edital.

 

Educadores irão apresentar experiências dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura na Campus Party Bahia 2018

download (3)

Os participantes do Campus Party Bahia 2018, que começa nesta quinta-feira (17), na Arena Fonte Nova, em Salvador, vão poder conhecer as diversas atividades desenvolvidas nos Centros Juvenis de Ciência e Cultura (CJCC) em toda a Bahia. Na programação, serão realizados palestras e workshops voltados para robótica, games, produção sonora, ferramentas, aplicativos e software livres utilizados na Educação, na Área Comunidades. Com parceria do Governo do Estado, o evento terá 300 horas de atrações, com a expectativa da participação de 90 mil pessoas nos quatro dias do encontro. A abertura será às 9h, com a participação do secretário da Educação, Walter Pinheiro.

O professor Jaime Azevedo, do CJCC Salvador, destaca a importância de desenvolver trabalhos vinculados à Educação dentro do espaço de tecnologia. “Os Centros Juvenis são protagonistas na produção de games para a utilização na sala de aula. Com a participação dos estudantes da rede estadual desenvolvemos projetos que podem ser apropriados por educadores para o ensino aprendizagem. Sempre valorizando softwares livres já que estamos ligados à rede pública”, destaca o educador, que estará no Workshop ‘Quer saber como funcionam os Games?’, nesta quinta-feira, às 16h.

Ainda fazem parte da programação, os workshops ‘Você conhece os Centros Juvenis de Ciência e Cultura?’, com o coordenador Iuri Rubim; ‘Comic glasses’, com as professores Janair Borges e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim); Produção Sonora, com o professor Alexandre Rebouças (CJCC Salvador); Scratch, com o professor Arlindo Matheus (CJCC Barreiras); Painel Interativo, com o professor Elton Barreto (CJCC Salvador); Case Mod/computador tela invisível e pepakura, professores Cleber Franco e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim); Camisas High tech, com os professores; e o talk Jogos Choices e Aedes Adventure desenvolvidos no Scratch, com o monitor Lucas Rodrigues (CJCC Vitória da Conquista).

Educação Profissional – Além do CJCC, estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional (CETEP) Empreende Bahia, localizado no bairro de Água de Meninos, em Salvador, irão apresentar os projetos Mostra de Vídeos: Tecnologia e Empreendimento e Projeto 4P´s: Marketing Ideias Criativas e Inovadoras. A apresentação será às 11h, na sexta-feira (18), no Espaço da Aceleradora Vale do Dendê.

Veja programação do CJCC:

17/5 às 16h – Quer saber como funcionam os Games? – Jaime Azevedo (CJCC Salvador)

Desenvolvimento de jogo estilo Tower Defense com o tema Sistema imunológico com o título provisório e Vírus Defense. Utilizaremos o Blender 3D e o Engine Unity bem como outros softwares livres como Gimp e Inkscape.

17/5 às 16h – Jogos Choices e Aedes Adventure desenvolvidos no Scratch – monitor Lucas Rodrigues (CJCC Vitória da Conquista)

O Choices tem o objetivo de provocar reflexões sobre alimentação, saúde e qualidade de vida. O jogo Aedes Adventure foi desenvolvido com realidade aumentada para que os jogadores possam, com o movimento do corpo, acabar com o mosquito e seus criadouros.

18/5 às 13h – Você conhece os Centros Juvenis de Ciência e Cultura? – Iuri Rubim (Coordenador CJCC)

Venha conhecer os Centros Juvenis de Ciência e Cultura, laboratórios pedagógicos onde não há provas, a participação dos alunos é voluntária e eles aprendem se divertindo.

18/5 às 15h – Workshop Comic glasses – Janair Borges e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim)

Workshop para a produção de óculos de heróis de quadrinhos (comic glasses) ou personagens do universo geeks, elaborada para oportunizar os interessados a criarem sua fantasia de maneira criativa, divertida e sustentável, com produção DIY.
18 /5 às 18h – Produção Sonora – Alexandre Rebouças (CJCC Salvador)

Ação de produção sonora a partir de software livre.

19/5 às 10h30 – Case Mod/computador tela invisível e pepakura – Cleber Franco e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim)

Exposição e explicação dos passos para a produção de um case mod.

19/5 às 12h – Camisas High tech – Edjanne Amaral e Janair Borges (CJCC Senhor do Bonfim)

Demonstração da produção de camisetas com a utilização do aplicativo.

19/05 às 13h – Workshop Scratch – Arlindo Matheus (CJCC Barreiras)

Apresentação da ferramenta Scratch dentro do ambiente educacional. Como é utilizada no Centro Juvenil, mostrando a possibilidade do desenvolvimento das disciplinas (Português, Matemática, Biologia etc.) com o uso da programação. Elaboração de animações que possibilitem a interdisciplinaridade.

19/5 às 15h – Workshop Painel Interativo – Elton Barreto (CJCC Salvador)

Tutoria e montagem de robôs educacionais juntamente com exibição da montagem do Painel Interativo.

 

Secretaria da Educação do Estado promove formação sobre alfabetização na idade certa

download (1) download (2)

Formadores locais da Região Metropolitana de Salvador estão participando, no Instituto Anísio Teixeira (IAT), localizado na capital baiana, do IV Tempo Formativo – Refletindo sobre os percursos de ser alfabetizador: problematizar, analisar e refletir a prática alfabetizadora do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). O curso, iniciado nesta terça-feira (16), prossegue até quarta (17) e é destinado aos formadores locais dos municípios do Núcleo Territorial de Educação (NTE) 26. A formação, que envolve os seguimentos da Pré-escola, da Educação Infantil (1º ao 3º ano) e do programa Novo Mais Educação, tem como objetivo abordar estratégias voltadas à alfabetização das crianças na idade certa (até os oito anos de idade).

Participam 104 formadores locais do NTE 26, sob a coordenação da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), responsável também pela formação nos demais NTEs. No caso do NTE 26 são cinco formadoras regionais selecionadas pela instituição de ensino. A coordenadora regional do NTE 26 no PNAIC, Luciana Moraes, fala sobre os desdobramentos da formação nos municípios. “Os formadores locais que estão aqui foram indicados pelos municípios através de uma seleção. Ao retornarem às suas cidades vão realizar uma formação com professores e coordenadores pedagógicos de suas redes, que terá também uma carga horária de 100 horas (16 horas presenciais e 84h à distância) ”.

Diferentemente dos anos anteriores, para a edição 2017/2018 o PNAIC propôs que, além de fazer formação para professores e coordenadores do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental, que o processo formativo envolvesse também formadores da Pré-escola e do programa Novo Mais Educação. A formadora local da rede municipal de Salvador, Adriana Purificação, integrante da turma da Educação Infantil, ressalta que esta formação é inovadora. “Há algum tempo sentíamos falta um trabalho voltado à base alfabética nos anos inicias, afinal a Educação Infantil é corresponsável por esses processos de alfabetização. Daqui pretendo levar um rol de conhecimentos para seduzir os professores da Educação Infantil por meio de um trabalho de base alfabética específico, introduzindo os alunos no mundo da leitura escrita, de uma forma lúdica e prazerosa”, relata.

 

Ressignificação de conhecimentos – A formadora local Bárbara Cruz, que atua na Educação Infantil (1º ao 3º ano) da rede municipal de Mata de São João, fala de suas expectativas com a ressignificação dos conhecimentos. “Mais uma vez estamos aqui com o intuito de adquirir novos conhecimentos para fortalecer a alfabetização, que é a base para que o aluno possa percorrer os caminhos até o Ensino Superior. Nossa preocupação é que o processo de alfabetizar e letrar seja feito com eficiência e temos que ter esse comprometimento para mudar um pouco o quadro de, por exemplo, recebemos estudantes no Fundamental 2 que não conseguem fazer a introdução de um texto, ou seja, não estão bem alfabetizados. Se preocuparmos e nos comprometermos com a base, o aluno não vai chegar com essa dificuldade”, analisou.