Alfabetização na idade certa beneficia 700 mil crianças.

 

A estudante Evelyn Vitória de Jesus Lima, 7 anos, aluna do Escola Municipal do Natal, em Camaçari, é uma das 768.993 crianças beneficiadas pelo Programa Educar para Transformar, graças ao regime de colaboração entre a Secretaria da Educação do Estado e 413 municípios baianos. Por meio desta parceria, a Secretaria tem contribuindo com a alfabetização das crianças, com letramento, até os oito anos de idade, fornecendo material didático e realizando formação de professores alfabetizadores.
Só em 2016, a Secretaria da Educação do Estado distribuiu mais de 1 milhão e 700 mil livros às prefeituras para contribuir na alfabetização, com letramento, das crianças. Destes, 798 mil livros são de literatura infantil, de 19 autores baianos, referenciados na realidade da Bahia, com linguagem e ilustrações, que criam nas crianças uma identificação e contribuem para o processo de ensino e de aprendizagem. Os outros são de Língua Portuguesa, elaborado em parceria com o Estado do Ceará, e o de Matemática, construído por uma equipe de pesquisadores, sob a coordenação da Secretaria de Educação do Estado da Bahia.
Com este material foi muito mais fácil para Evelyn Vitória aprender a ler. “A gente aprende a ler, escrever e contar histórias com esses livros. Também tem a parte de pintar e cantar que são muito divertidos. Gosto de vir para a escola porque posso estar próximo dos livros e meus colegas. Eu até ajudo quando eles estão com dificuldade”, comemora.
Em Camaçari, crianças de 67 escolas municipais foram beneficiadas com este material didático, que por ser referenciado na realidade baiana, causam identificação nas crianças e facilitam o processo de ensino e aprendizagem, conforme ressalta a coordenadora do programa em Camaçari, Fabiana Silva. “Este material faz uma grande diferença porque é um conteúdo dinâmico e contextualizado com a realidade e linguagem adequada à idade. Por isso tanto os professores, quantos os estudantes se identificam com este material, que é utilizado de diversas formas, em sala de aula, com a aplicação de métodos pedagógicos”, explicou.
Professora do 1º ano do ensino fundamental da Escola Municipal do Natal, em Camaçari, Ana Cláudia dos Santos, afirmou que “os livros disponibilizados pelo Governo Estado nos auxilia bastante no trabalho com as crianças. É um conteúdo que dá para trabalhar livremente porque eles se interessam, leem e participam de tudo”, contou.
Formação
O regime de colaboração com os municípios possibilitou a formação, em 2016, de 38.295 professores alfabetizadores, envolvendo toda uma metodologia e organização de trabalho para uso do material didático disponibilizado, por meio do Pacto Nacional e o Pacto Estadual pela Alfabetização na Idade Certa. A ação também alcança 413 coordenadores locais e 1.253 orientadores de estudo.
Esta formação tem contribuído para uma nova dinâmica em sala de aula, no processo de alfabetização das crianças. Os professores são estimulados a utilizar jogos cognitivos, brincadeiras interativas, desenhos e ilustrações que fazem da sala de aula um espaço lúdico e de maior aprendizagem. No Cantinho de Leitura, por exemplo, os livros são disponibilizados para os estudantes de forma livre para que manuseiem e possam ter contato com as obras literárias. Já na Maleta de leitura, o aluno leva os livros para casa e depois conta a experiência da leitura com a participação dos pais.
Há seis anos lecionando na Escola Municipal do Natal, Ana Cristina Bueno, também professora do 1º ano fundamental, fala sobre a importância da formação. “Esta parceria para contribuir de forma muito consistente para nós alfabetizadoras, porque conseguirmos alfabetizar de forma prazerosa. Nós temos alunos que chegaram aqui inseguros e rabiscando, e hoje vemos eles com um bom domínio silábico-alfabético”, sorri.