Trajetória do programa Todos pela Alfabetização é apresentada no 5º Encontro Estudantil

A trajetória do Programa Todos Pela Alfabetização (TOPA) está sendo apresentada como parte da programação do 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual, que acontece até esta quinta (23). No espaço “Gente que faz o TOPA acontecer”, montado no nível 5, da Arena Fonte Nova, estão expostos o acervo cultural das dez etapas do programa, materiais produzidos durante as atividades executadas em sala de aula, artesanatos, os livros utilizados pelos alfabetizadores, fardamentos e os prêmios recebidos pelo programa, que já atendeu, desde sua criação, mais de 1,4 milhão de jovens acima de 15 anos, adultos e idosos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular.
A coordenadora geral de Programas Especiais da Secretaria da Educação, Elenir Alves, fala sobre a ação. “Estamos resgatando os dez anos de história de consolidação desse programa, que é o maior programa de alfabetização do Brasil e fazendo essa homenagem. Aqui temos tudo que trabalhamos desde 2007, inclusive, alguns exemplares dos óculos que o TOPA distribuiu para rees­ta­be­le­cer a saúde ocular dos estudantes”, comentou.
O programa de atenção à saúde ocular da Secretaria de Saúde do Estado, que beneficia estudantes do TOPA, chamou a atenção de Ingrid Leal, 17, estudante do 2º ano do curso técnico em Manutenção e Suporte em Informática, do Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia, Informação e Comunicação, em Lauro de Freitas. “Estamos com um projeto no CEEP, de calculadora para deficientes visuais, que aborda a saúde ocular do idoso e quando a monitora me explicou sobre o trabalho do programa de atenção aos idosos me chamou mais atenção. Achei muito interessante que tenha um programa que cuida da inclusão de pessoas que não tiveram a oportunidade de estudar, principalmente, os que vivem em áreas mais afastadas”, avalia.
A colega de Íngride, Camila Brito, 17, também visitou o espaço e conta que ficou encantada com o alcance do TOPA. “Já ouvi falar do TOPA, mas não achava que era tão grande, que já tinha alfabetizado mais de um milhão de pessoas nestes dez anos. É uma ótima iniciativa que só traz benefícios para aqueles que não tiveram a oportunidade de se alfabetizar na idade certa. É um trabalho incrível. Fiquei encantada”, revela.