Educadores debatem sobre mudanças no currículo do Ensino Médio

download (5) download (6)

A Secretaria da Educação do Estado reuniu especialistas e educadores, nesta sexta-feira (23), para discutir as novas arquiteturas curriculares do Ensino Médio, durante uma videoconferência no Instituto Anísio Teixeira (IAT), que foi transmitida para os 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE). O objetivo foi avaliar o currículo, a partir das diferentes ofertas e modalidades na rede estadual, de modo que a Educação esteja contextualizada com a realidade dos estudantes e as especificidades dos 27 Territórios de Identidade da Bahia onde eles vivem, contribuindo, assim, para o processo de ensino e aprendizagem.

O superintendente de Políticas para a Educação Básica do Estado, Ney Campello, destacou a importância desta discussão e da construção coletiva, que vem sendo fomentada pela Secretaria da Educação desde 2017.  “Para mim, esta videoconferência é um marco histórico na rede, porque o ano de 2018 será dedicado à construção do que nós estamos chamando do Currículo Bahia, ou seja, a construção de uma trama de saberes e fazeres que impactem na evolução dos nossos indicadores educacionais, que requalifique e ressignifique a oferta da educação pública estadual”, afirmou, ao acrescentar que “estamos fazendo isso não sob uma lógica do Ministério da Educação, de uma Lei de Reforma do Ensino Médio, mas do exercício da autonomia do Sistema Estadual de Educação, que é conferido pela Lei de Diretrizes e Base (LDB), e, a partir das próprias experiências vivas da rede, construir essa trama que chamamos de currículo”, pontuou.

Durante a videoconferência, foram apresentadas experiências de reformulação de currículos já desenvolvidas nas escolas estaduais. Segundo a diretora do Ensino Médio da Secretaria da Educação, Tereza Farias, este, aliás, é um dos resultados identificados pela Secretaria, a partir dosciclos de debates e seminários promovidos ao longo de 2017, nos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE) sobre o tema. Ela falou, ainda, sobre as novas estratégias que serão adotadas para ampliar, ainda mais, este debate. “Para este ano nós vamos fazer, no mês de maio, o segundo ciclo de seminários territoriais, com o objetivo de desenhar os currículos durante a realização desse seminário. Vamos, também, entregar protótipos curricular para 100 unidades escolares inovadoras, que estão revisitando e reformulando seus currículos, olhando para esse novo perfil de oferta”, destacou.

O Colégio da Polícia Militar João Florêncio Gomes, localizado no bairro Ribeira, em Salvador, já está adotando alterações no currículo, segundo explicou a gestora Eliane Bastos. “A rede CPM já colocou em prática, em 2018, os itinerários formativos através da nova proposta da Reforma do Ensino Médio. Então, esse debate vem nos esclarecer uma série de coisas, instrumentalizar e, também, fazer com que a gente traga a nossa prática, para que ela possa ser repensada opinada, debatida, para que tenhamos cada vez mais um resultado positivo”, disse.

Também participaram da videoconferência, o diretor pedagógico da Superintendência de Educação Profissional e Tecnologia do Estado, Wendel Simões, a coordenadora de Educação Integral da Secretaria, Catarina Cerqueira, o assessor especial para os Complexos Integrados de Educação do Estado, Robson Costa.