Secretaria planeja execução do Censo Escolar com técnicos de todos os Núcleos Territoriais de Educação

A Secretaria da Educação do Estado promove, nesta terça-feira (27), um Encontro de Alinhamento para a Execução da Segunda Etapa do Censo Escolar 2017, com técnicos do órgão central e dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE). A atividade, realizada no auditório da Secretaria, no Centro Administrativo (CAB), em Salvador, aborda diferentes aspectos do Censo Escolar, para alinhar e planejar o trabalho que será realizado em toda a Bahia, em 2018.
Os dados coletados pelo Censo Escolar servem de base para a formulação de políticas públicas e para a distribuição de recursos públicos, como alimentação e transporte escolar, distribuição de livros e uniformes, implantação de bibliotecas, instalação de energia elétrica, Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), entre outros. Os dados também são utilizados no cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), por outros ministérios como Saúde e Esportes e por organismos internacionais como a UNESCO e o UNICEF.
Na programação do encontro, estão sendo apresentados resultados das verificações realizadas em 2017, os impactos nas estatísticas educacionais do Estado, programas educacionais, além das tendências e desafios para 2018. Em 2017, foram realizadas verificações em 417 municípios do Estado. Ao todo, 591 unidades escolares, municipais e estaduais, foram visitadas pelas equipes técnicas da Superintendência de Gestão da Informação Educacional (SGINF) e dos NTE, responsáveis, também, por alimentar informações no Sistema de Gestão Escolar (SGE), da Secretaria da Educação, que são migrados, posteriormente, para o Sistema Educacenso, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

A superintendente de Gestão da Informação Educacional do Estado, Cristiane Ferreira, falou sobre a importância deste alinhamento para dinamizar o Censo Escolar. “A atuação dos técnicos é de fundamental importância, porque eles têm um papel de monitoramento e acompanhamento do resultado do que as unidades escolares fazem. São eles que fiscalizam todo o controle de matrícula, documentação, se os alunos existem, se estão na rede, o que está acontecendo em cada unidade escolar e isso reveste em informação para nosso sistema”, explicou, destacando a coleta de dados subsidia a gestão da rede. “A partir dessas informações, os dirigentes aqui conseguem tomar decisões para a definição das políticas públicas, discutindo como os técnicos devem trabalhar com as equipes lá na ponta, quais as estratégias para potencializar a região, de maneira que a gente possa, em 2018, avançar ainda mais”, pontuou.

Para a técnica do Núcleo Territorial de Educação de Bom Jesus da Lapa (NTE 02), Islane Damasceno, avaliar o desempenho do trabalho anterior é motivador para a realização de novas atividades. “Acho esses encontros fundamentais para o bom desempenho do nosso trabalho. Sempre aparece uma informação nova ou surge uma dúvida, e estar aqui é muito eficaz”, afirmou.
Maria José Santos, técnica do Núcleo de Itapetinga (NTE 08), trabalha há 10 com o Censo Escolar e disse que esta coleta é essencial para a Educação Pública. “Eu acho o trabalho com o Censo de suma importância e necessário para a melhoria da educação da Bahia; pois serve de base para que os Governos Estadual e Federal saibam o que a gente tem de alunado, o que é necessário, inclusive recursos financeiros, para que se faça uma boa Educação e, também, para o melhoramento social”, pontuou.
Para Ana Vanilda Santana Melo, coordenadora do Censo e Matrícula do NTE 19, de  Feira de Santana, o planejamento de ações é fundamental. “É sempre boa a realização dessas atividades, porque acontece uma interação, uma troca de ideias e uma reflexão sobre o caminho que estamos percorrendo no trabalho. Aqui, conseguimos sanar nossas dúvidas e planejar como iremos fazer neste novo ano, buscando sempre melhorar”, concluiu.