Escolas estaduais podem contribuir com propostas da Educação Ambiental para a Reforma do Ensino Médio

download (4)

A Secretaria da Educação do Estado está estimulando os gestores e professores das escolas estaduais a contribuir com a formulação de orientações voltadas ao processo de inserção da Educação Ambiental nas propostas curriculares do Ensino Médio. A ação faz parte da Reforma do Ensino Médio e para contribuir é preciso preencher um formulário, até o dia 23 de fevereiro, disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br), sobre experiências exitosas desenvolvidas nas unidades escolares.

O coordenador de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação do Estado, Fábio Barbosa, ressaltou a importância da participação dos diretores e coordenadores pedagógicos no preenchimento do formulário. “A apresentação dos trabalhos desenvolvidos nas escolas da rede estadual da Bahia é fundamental para contribuir para que a Educação Ambiental tenha suas ações como parte da política educacional do Governo Federal, ampliando sua inserção nos currículos do Ensino Médio”, disse.

Avanços – Fábio também destacou as ações realizadas pela Secretaria da Educação do Estado para garantir a inserção da Educação Ambiental nas escolas. “A Bahia desenvolve muitas ações, entre elas, o Programa de Educação Ambiental do Sistema Educacional (ProEASE), que surgiu para fortalecer a Educação Ambiental na escola, estabelecendo princípios gerais, diretrizes pedagógicas, orientações curriculares e as linhas de ação institucionais. Foram promovidos cursos e oficinas presenciais para professores, produção de vídeos didáticos para educadores e educandos, além de mobilizações para a formação de comissões de meio ambiente e qualidade de vida nas escolas”, afirmou.

A Secretaria também homologou, em 2017, a Resolução nº 11, proposta pelo Conselho Estadual da Educação (CEE), inserindo a Educação Ambiental no currículo da Educação Básica e Superior por meio de uma abordagem integrada e interdisciplinar entre as áreas de conhecimento e articulação entre diferentes componentes curriculares e em atividades extraclasse. “O processo de construção da resolução foi feita de forma coletiva, para que o material viesse a ajudar as unidades das redes estadual, municipal e particular, na perspectiva que trabalhem a Educação Ambiental em todos os níveis e modalidades de ensino”, detalhou Fábio Barbosa.

Estudantes da rede estadual ingressam com louvor em cursos como Direito e Medicina nas universidades públicas da Bahia

download (1) download (2) download

 

O primeiro lugar em diferentes cursos das universidades públicas da Bahia tem sido alcançado por vários estudantes concluintes da rede estadual de ensino, que se destacaram pelo desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio ou conquistaram as colocações por meio do Sistema de Seleção Unificada (SISU). São estudantes de cidades como Salvador, Barreiras, Capim Grosso, Cristópolis, dentre outras, que entraram em primeiro lugar em cursos como Direito, Letras e Geografia, na Universidade Federal da Bahia (UFBA), na Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) e na Universidade Estadual da Bahia (UNEB). Um estudante de Presidente Tancredo Neves também comemora o desempenho e a conquista do 6º lugar no curso de Medicina da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

De acordo com o secretário da Educação do Estado da Bahia, Walter Pinheiro, o protagonismo dos estudantes da rede estadual no acesso ao ensino superior reflete as políticas públicas acertadas na área da Educação. “O desempenho dos estudantes da rede estadual comprova a prioridade que o Governo da Bahia vem dando para a Educação. Em 2017, por exemplo, tivemos várias ações do projeto Enem 100%, com aulões, o reforço na redação com o Redijaê, o estímulo ao ensino das ciências, além do apoio que demos para que os estudantes do interior pudessem se deslocar gratuitamente do seu município para as cidades onde as provas do Enem foram realizadas. Tudo isso somado ao apoio das famílias e à dedicação dos professores e de cada estudante resultou nestes resultados expressivos no acesso deles ao ensino superior”, destaca.  O estudante Lívio Trindade, 18, também conquistou o primeiro lugar no tradicional e concorrido curso de Direito da UFBA.

O estudante Vinícius Alves Ferreira, 18, que concluiu o Ensino Médio no Colégio Estadual El Shadai, localizado em Barreiras (871 km da capital), conquistou, através do SISU, o 1º lugar no curso de Direito da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), um dos mais concorridos da instituição. Para ele, a dedicação e suporte do colégio foram fundamentais. “Minha rotina de estudos foi muito intensa, pois estudava no colégio pela manhã, trabalhava à tarde e fazia cursinho à noite no colégio com professores voluntários. Como não tenho Internet em casa, aproveitava o wi-fi do colégio para baixar vídeo aulas. Após a fim do cursinho, tive a ideia de organizar um grupo de estudos noturno no próprio El Shadai, quando eu e mais três colegas estudávamos as principais técnicas de redação. O apoio da direção da escola foi muito importante em ceder uma sala e alguns equipamentos para que pudéssemos nos preparar. A alegria é imensa, pois do meu núcleo familiar, vou ser o primeiro a ter ensino superior. Os professores da minha escola são os melhores que poderia ter tido. Sinto orgulho de ser aluno do Colégio Estadual El Shadai”, revela emocionado.

Medicina – Em Itajuípe (418 km de Salvador), Igor Vinicius Barreto, 19, comemora a sua aprovação em 6º lugar pelo SISU, no curso de Medicina da Universidade Estadual da Bahia (UESC), um dos mais concorridos do Estado. “Concluí o curso técnico em Administração no Centro Territorial de Educação Profissional do Baixo Sul (CETEP), localizado em Gandu. Ia e voltada de lá todos os dias, pois morava com minha mãe em Presidente Tancredo Neves. No ano passado, me dediquei muito para poder passar em Medicina, estudando em casa e fazendo cursinho. Atualmente, moro Itajuípe com minha avó e a minha ficha ainda não caiu, mesmo já tendo feito a matrícula. Minha família está muito feliz pela minha conquista e eu também porque me esforcei muito”, afirma Igor, filho de uma secretária e um caminhoneiro.

Quem também está celebrando é Pedro Lucas Pinto Santos, 17, por ter obtido o 1° lugar no curso de Letras com habilitação em Língua Inglesa no vestibular tradicional da Universidade Estadual da Bahia (UNEB). Ele acabou de concluir o Ensino Médio no Colégio Estadual Edna Moreira Pinto Daltro, em Capim Grosso (300 km de Salvador). “Estou muito contente porque começarei o ano de 2018 já no Ensino Superior em um curso que eu sempre quis fazer. Minha mãe é empregada doméstica e está muito orgulhosa de mim, pois sou o primeiro da família a ingressar em uma universidade pública”, destaca.

Vitor Emanuel de Oliveira Araújo, 17, foi aprovado em 1° lugar no curso de Geografia, na UFOB, através do SISU. Ele concluiu os estudos no Colégio Estadual de Cristópolis, localizado em Cristópolis (796 km da capital). “Apesar de ter passado em Geografia, que é uma área que gosto muito, também estou na expectativa de ser aprovado em Farmácia, pois estou na lista de espera na mesma universidade”, comemora, empolgado.

Concurso público para professor e coordenador pedagógico da rede estadual será no dia 25 de fevereiro

O Governo do Estado confirmou para o dia 25 de fevereiro, às 9h (horário local), a realização das provas do concurso público para 3.760 vagas, sendo 3.096 para professores e 664 para coordenadores pedagógicos, da rede estadual de ensino, por meio de publicação, nesta quarta-feira (7/2), no Diário Oficial (DO).  A avaliação será realizada em duas etapas (objetiva e discursiva) e terá duração de 4h30, para professores, e de 3h30, para coordenador pedagógico. O candidato que não receber o cartão informativo até o terceiro dia que antecede a aplicação das provas ou que tiver dúvidas deve entrar em contato com Fundação Carlos Chagas, pelo telefone (0XX11) 3723-4388, de segunda a sexta-feira (úteis), das 10 às 16 horas ou acessar o Portal: www.concursosfcc.com.br.
O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, destaca que o objetivo principal do concurso é fortalecer a Educação pública na Bahia. “Realizar este concurso foi um desafio assumido pelo governador Rui Costa, mesmo em um cenário econômico nacional ruim. Com isso, vamos fortalecer o eixo pedagógico com coordenadores pedagógicos em todas as escolas e ampliar o quadro de professores efetivos, promovendo, inclusive, esta renovação na rede, uma vez que estamos concedendo muitos pedidos de aposentadoria”, diz.
As provas serão aplicadas nas cidades de Salvador, Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista, conforme opção indicada pelo candidato na inscrição.
Somente será admitido à sala de provas o candidato que estiver devidamente portando documento de identidade original, que legalmente o identifique, como: Carteiras e/ou Cédulas de Identidade expedidas pelas Secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pelo Ministério das Relações Exteriores; Cédula de Identidade para Estrangeiros; Cédulas de Identidade fornecidas por órgãos públicos ou conselhos de classe que, por força de Lei Federal, valham como documento de identidade.
Etapas - O concurso contará com três etapas: provas objetiva, discursiva (ambas no dia 25 de fevereiro) e de títulos (com previsão para abril de 2018). As vagas para professor são nas áreas de Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia, sendo exigida formação específica e diploma concedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Para coordenador pedagógico é exigida formação em Pedagogia, também com reconhecimento do MEC. Em todos os casos, a carga horária semanal é de 40 horas.
Um total de 103,5 mil candidatos se inscreveram no concurso público da rede estadual, realizado conjuntamente pelas Secretarias da Educação e da Administração (SAEB).  Este é o sexto concurso que a atual gestão do Governo do Estado realiza em quase três anos, já tendo provido vagas nos quadros da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar, Oficiais da Polícia Militar, Embasa, Junta Comercial (Juceb) e da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba).

Secretaria realiza formação de coordenadores regionais sobre o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

A Secretaria da Educação do Estado promoveu, nesta terça-feira (6), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), o primeiro Encontro Formativo Presencial com os coordenadores regionais do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), para discutir ferramentas de gestão do programa na Bahia. Com representantes dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), a atividade visa o fortalecimento da educação de crianças do 1º ao 3º ano de Ensino Fundamental das redes municipais, da Educação Infantil e do programa Novo Mais Educação.

A coordenadora de Projetos Especiais (COPE) da Secretaria da Educação do Estado, Elenir Alves, falou sobre a importância da formação para o bom desempenho do programa. “Os coordenadores participaram desta atividade para conhecer instrumentos de gestão que possam ser utilizados para assegurar a realização do programa nas regiões onde atuam. Com este encontro vão poder desenvolver com os coordenadores locais estratégias de articulação junto aos municípios”, declarou.

Elenir ainda destacou os próximos passos para o desenvolvimento do PNAIC na Bahia. “Após essa etapa, os coordenadores vão participar da formação pedagógica promovida pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). O desafio é que agora vamos também atender a formação nos segmentos da Educação Infantil, além dos mediadores e articuladores do programa Novo Mais Educação”, disse.

PNAIC - Promovido pelo Governo Federal, o programa na Bahia é uma a ação fruto da parceria entre a Secretaria da Educação do Estado, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME-BA) e a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Educadores planejam o ano letivo na rede estadual durante Jornada Pedagógica 2018

download (2) download (3)

Professores, gestores, coordenadores pedagógicos e técnicos da rede estadual de ensino estão mobilizados em toda a Bahia em torno da Jornada Pedagógica 2018. A primeira etapa do planejamento coletivo começou nesta segunda-feira (5) nas escolas estaduais em toda a Bahia e segue até esta quarta-feira (7), com o tema “Aprendizagens e Territórios: Novos Rumos para a Educação do Século XXI”. A atividade conta com mais de 30 mil educadores diretamente envolvidos e visa discutir ações e atividades para a melhoria da aprendizagem, avaliando o conteúdo e estratégias de articulação entre os projetos e o currículo.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, participou da jornada, nesta segunda-feira, em dois momentos, primeiramente no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Saúde Anísio Teixeira, no bairro de Caixa D´Água, e, depois, no Colégio Estadual Almirante Barroso, no bairro de Paripe, em Salvador. Na oportunidade, Pinheiro conversou sobre o trabalho desenvolvido para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos estudantes e sobre a importância das unidades como base das mudanças pedagógicas da rede estadual.

“A ideia para melhorarmos a oferta da educação na rede estadual teve sempre como primeiro passo ouvir os educadores que estão no dia a dia na escola. O trabalho que está sendo realizado há um ano e meio é de irmos à unidade escolar para conhecer a realidade de cada localidade, sempre motivando os gestores e professores a apresentar o que acreditam ser essencial para o desenvolvimento da sua pedagogia. Por isso, criamos o projeto Transformaê, que teve essa finalidade. E iniciamos, em 2017, duas etapas da Jornada Pedagógica, uma no início do ano letivo e outro no meio do ano”, destacou Pinheiro.

Reestruturação - Nesta perspectiva, o secretário elencou mudanças realizadas a partir destes debates. “Foi ouvindo a demanda das escolas que alteramos a duração dos cursos técnicos de nível médio, de quatro para três anos e que percebemos a importância de atrair estudantes que já terminaram o Ensino Médio, por meio de cursos de curta duração. Também reestruturamos o ensino noturno e estamos valorizando a Educação Inclusiva com mudanças estruturais nas escolas”, contou.

Na ocasião, Pinheiro parabenizou o estudante da unidade CEEP em Saúde Anísio Teixeira, Livio Trindade, 18 anos, presente ao evento, pelo seu excelente desempenho com o 1º lugar do curso de Direito, na Universidade Federal da Bahia (UFBA). “Esse é o melhor resultado que podemos apresentar pelo bom trabalho desenvolvido pelo aluno e professores na escola. Uma gestão não pode possuir rótulos ou carimbos, tem que ser baseada na construção de uma ação pedagógica concreta que possa oportunizar a outros estudantes a habilidade de concorrer e ingressar nas principais universidades, como aconteceu com o Lívio”, disse.

Gratidão – Para o estudante Lívio Trindade, retornar à unidade escolar representou um gesto de agradecimento. “É bom estar de volta à escola e rever todos os professores que foram importantes para a minha formação. Sei que a conquista deste sonho teve muito da minha vontade, mas tenho certeza que sem a postura dos meus professores que apresentam um trabalho pedagógico muito bom não teria base para enfrentar essa grande concorrência,” afirmou.

A diretora do CEEP em Saúde Anísio Teixeira, Verônica Lisboa, disse que a Jornada Pedagógica tem um papel fundamental para o planejamento do ano letivo. “Com certeza é um momento de reflexão e avaliação do ano que se passou, para repensarmos melhorias para o vindouro ano letivo. Receber a visita do secretário também nos dá um grande suporte para começarmos bem,” ressaltou.

Ainda segundo a diretora do Almirante Barroso, Celsina Borba, “a proposta de abraçarmos as necessidades dos moradores da comunidade com cursos e novas ofertas é valorosa. O que sempre digo aos professores é que toda inovação requer desafios e temos que estar preparados para as mudanças”, avaliou.

 

Começa nesta segunda-feira (5) a Jornada Pedagógica nas escolas da rede estadual

download (1) download

Começa nesta segunda-feira (5/2) a Jornada Pedagógica nas escolas da rede estadual, que tem o objetivo de reunir gestores e professores, em cada unidade, para articular o planejamento para o ano letivo 2018 que tem início no dia 19 de fevereiro.

Para a abertura, o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, acompanha as atividades, a partir das 8h, no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Saúde Anísio Teixeira, no bairro de Caixa D´Água. A Jornada Pedagógica nesta unidade também contará com a participação do estudante Livio Pereira, que passou em primeiro lugar no curso de Direito da Universidade Federal Bahia (UFBA).

Com o tema “Aprendizagens e Territórios: Novos Rumos para a Educação do Século XXI”, a Jornada Pedagógica 2018 acontece de 5 a 7 de fevereiro, das 8h30 às 22h, em todas as escolas da rede estadual. De forma inovadora, desde 2017 a Secretaria da Educação realiza a iniciativa em duas etapas, uma no início e a outra no meio do ano letivo.

Dados do Censo Escolar comprovam eficiência das políticas públicas da Educação na Bahia

volta-aulas-20142-claudionor-junior-ascomeducacao-13
Os dados do Censo Escolar divulgados hoje (31), pelo Ministério da Educação (MEC), comprovam a assertividade das políticas públicas promovidas pelo Governo da Bahia na área da Educação Básica. A ampliação das matrículas nas modalidades de Educação integral, profissional, especial, indígena e quilombola, além da redução das taxas de abandono e da distorção idade-série foram destaque.
 
Na Educação profissional, 75.214 estudantes se matricularam em 2017, o que representa um aumento de 343,9% em comparação a 2007. As matrículas da Educação Integral no ensino médio aumentaram 76,3%, subindo de 4.041 em 2016 para 7.123 no ano passado.
 
“Este resultado é fruto de programas e projetos que vêm sendo implementados na Bahia desde 2007, com foco na melhoria da Educação em todas suas modalidades, a partir da prioridade que passou a ser dada pelo Governo do Estado. Além disso, estamos com uma nova oferta, integrando a Educação Básica com a Profissional, ofertando cursos de curta duração em diversas áreas do conhecimento e otimizando os cursos da Educação Profissional que passam a ser de três anos de duração e não mais quatro anos, para que o estudante tenha acesso mais ágil ao mundo do trabalho”, destaca o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.
 
Já a matrícula na educação escolar indígena registrou um aumento de 398,43% entre 2006 e 2017, quando 7.322 estudantes desta modalidade foram matriculados na rede estadual. Com relação à educação quilombola, houve um aumento na matrícula de 229,6% entre 2006 e 2017, quando 19.968 estudantes foram matriculados nesta modalidade. “Este crescimento traduz o esforço realizado pelo Estado desde a concepção de políticas de ação afirmativas à adoção de medidas específicas para grupos étnicos-raciais e povos indígenas”, complementa Pinheiro.
 
Na rede Estadual, a redução da taxa de distorção idade-série no Ensino Médio foi de 23,4 pontos percentuais, passando de 69,4% (2006) para 46,0% (2016). O Censo também apontou redução das taxas de abandono no ensino fundamental e médio ofertados pelo Estado, com diminuição de 67,1% na taxa de abandono do ensino fundamental, enquanto no ensino médio essa mesma taxa diminui 64,3%, no comparativo entre 2006 e 2016.
 
Com relação à Educação Especial, houve crescimento do atendimento dos estudantes em escolas regulares e classes comuns de 152%, no período 2006 a 2017, na rede Estadual, com 6.634 estudantes distribuídos e incluídos em 1.053 unidades de ensino no ano passado.
 
Graças ao Programa Todos Pela Educação (TOPA), a alfabetização da população de 15 anos e mais passou de 81,4% (2006) para 86,5% (2015), o que representa um crescimento de 5,1 pontos percentuais. Esse resultado é decorrente de políticas de alfabetização de jovens e adultos e de mudanças nos processos de ensino e aprendizagem nas séries iniciais do ensino fundamental.
 

Estudante da rede estadual é aprovado em primeiro lugar em Direito na UFBA

download
O estudante Livio Pereira Rodrigues Trindade, 18 anos, do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Anísio Teixeira, em Salvador, foi aprovado em primeiro lugar no curso de Direito da Universidade Federal da Bahia, a partir da sua pontuação no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Livio, que fez 920 pontos na redação e 730 pontos na prova de matemática, destaca que seu desempenho foi fruto de muitos estudos, dedicação e do apoio de professores e de seus pais. Ele também foi aprovado em 9º lugar no curso de Direito da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).
“Sou estudante de escola pública e fiz o Ensino Médio no curso técnico em Segurança do Trabalho. Tive alguns professores fundamentais, como Antero Paulo Fernandes e Eclésio Farias de Marcedo, das disciplinas técnicas do curso. Antero chegou a me dar material de estudo de física e matemática. O CEEP Anísio Teixeira também teve um papel fundamental na minha escolha, uma vez que quando fiz o curso técnico tive acesso ao conteúdo de Normas Regulamentadoras, que abriu meus olhos para o curso de Direito. Minha mãe, Cristina Pereira, me auxiliou bastante nos estudos, em casa, chegando a organizar o meu ‘cantinho do guerreiro’, que é meu local de estudos, e sempre me levava lanches enquanto eu estudava, até tarde da noite. Ela e meu pai, Antônio Carlos, me deram todo o apoio e sem eles eu não conseguiria nada”, disse Livio.
 Livio também deixa um incentivo para os estudantes da rede estadual: “Um guerreiro nunca desiste dos seus sonhos, por mais difícil que seja o caminho, a gente alcança. Eu não sou gênio. Estudei bastante e tudo que consegui foi com muito esforço e dedicação. Se você é aluno de escola pública e deseja ter resultado parecido, você só precisa de fé, dedicação e muita paciência”.
A diretora do CEEP, Verônica Lisboa Ramos, relata com orgulho o desempenho do estudante. “Para mim, que fui aluna de escola pública, só aumenta o compromisso de fazer uma educação de qualidade mesmo, porque nossos jovens são capazes. Está aí a prova: um aluno de escola pública, negro, chegando ao topo. O pai dele veio aqui agradecer à instituição, reconhecendo que foi o ensino de qualidade que ele teve, da escola, que o fez chegar aonde chegou”.
 O secretário da Educação do Estado da Bahia, Walter Pinheiro, destaca que o desempenho do estudante é um estímulo para os demais alunos da rede estadual. “Ser aprovado em primeiro lugar num curso com uma forte concorrência, como é o curso de Direito da UFBA, é um grande motivo a ser comemorado. Este resultado comprova que com empenho, dedicação e acesso à educação de qualidade, todos podem alcançar bons resultados no ingresso ao Ensino Superior”.

 

Programa Primeiro Emprego completa um ano e contrata 1.320 novos jovens

Para se inserir no mercado de trabalho é preciso ter experiência, mas como ter experiência sem ter uma oportunidade inicial? Buscando uma solução para esse impasse, o Governo do Estado criou o Programa Primeiro Emprego, que, nesta terça-feira (30), completa um ano. A data foi comemorada com uma solenidade nesta manhã, no auditório do Senai Cimatec, em Salvador, e contou com a participação do governador Rui Costa, do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, e outras autoridades.
Na ocasião, foram efetuadas 1.320 novas contratações. “Hoje, a adrenalina e emoção tomam conta de mim. Se a oportunidade de ser governador se resumisse a esse instante eu já estaria grato a Deus. É gratificante materializar sonhos de famílias baianas e dar oportunidade de trabalho e de uma vida para esses jovens profissionais esforçados”, afirmou Rui Costa. No discurso, o governador lembrou da própria história, da infância na Liberdade, e fez um pedido aos jovens: “Tenham orgulho de seus pais e mantenham a autoestima elevada para ir atrás dos sonhos e objetivos, com muita força e dedicação”.
Para o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, o sucesso do programa revela a importância da ação em contribuir para uma formação integral dos estudantes. “O Programa Primeiro Emprego dá continuidade à formação dos estudantes que passaram pelo ensino regular e profissional da rede estadual. E é a partir deste pensamento que estamos melhorando a oferta de cursos da Educação Profissional e Tecnológica, com a redução da duração e disponibilizando cursos subseqüentes ao Ensino Médio. Também é nosso objetivo implantar, pelo menos, um curso técnico de nível médio em cada escola da rede estadual até o fim de 2018 e dar continuidade ao curso de alternância”, destacou.
Pinheiro ainda ressaltou a concepção de uma pedagogia mais humana para os estudantes. “Com as Escolas Culturais, os Centros Juvenis de Ciência e Cultura (CJCC), empreendedorismo e os vários projetos realizados nas escolas, queremos promover também uma formação que os estudantes possam desenvolver suas diversas habilidades, seja no campo das artes ou da tecnologia. Queremos uma escola realmente integral que junte todos os aprendizados, ligados a experiência de cada território, para dar ao aluno a opção que ele se sinta à vontade para trilhar no seu caminho profissional. E o Primeiro Emprego possibilita esse primeiro passo no mundo do trabalho”, enfatizou.

Neste primeiro ano, foram inseridos 4.370 profissionais no mercado de trabalho, oriundos de cursos técnicos e profissionalizantes de escolas da rede pública estadual. Dividida em dois ciclos, a ação prevê um total de 11.478 contratados, com carteira assinada, até o final de 2018.

Há cinco meses no SAC de Cajazeiras, Nayana Verena, 20, egressa do Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão, Negócios e Turismo Luiz Navarro De Brito, na Lapinha, falou da oportunidade de ingressar no primeiro emprego. “É muito legal poder adquirir essa experiência logo após sair da escola. Isso nos dá mais confiança, além de ajudar na renda da casa e promover certa independência”, relatou.
Do município de Ribeira do Pombal (286 Km de Salvador), Kamilla Sales, 19, contou está bastante contente de poder atuar na área de agropecuária, no qual tem formação. “Está sendo muito produtivo poder seguir a profissão que escolhi e essa oportunidade dada pelo Governo mostra que existe uma preocupação com o jovem e seu futuro. Estou aprendendo muito e vou aproveitar essa chance de todas as formas”, acresentou.
Danilo de Jesus é técnico em Administração e é um dos recém- contratados. O jovem concluiu o curso no final de dezembro e, menos de um mês depois, já teve a carteira assinada. “Irei para a Secretaria de Administração e estou muito feliz. É muito difícil para o jovem se inserir no mercado e eu sei que é uma oportunidade que vai enriquecer muito o meu currículo”, acredita Danilo.
O Programa também foi elogiado por Lívia Santana, de 40 anos, que antes era cuidadora de idosos e resolveu fazer o curso de enfermagem: “Continuo na área que escolhi, mas agora saí das casas de família e, com o Programa Primeiro Emprego, tenho todos os direitos assegurados”.
Soma de esforços - Para a inserção desses profissionais acontecer, diversos órgãos têm papel fundamental. As vagas, por exemplo, são intermediadas pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre). “É um programa diferenciado, pois além de conseguir a colocação, a gente busca o beneficiário”, lembra a titular da Setre, Olívia Santana.
Todo o banco de talentos do Programa é gerido e rankeado, de acordo com o desempenho, pela Secretaria da Educação do Estado. “Trata-se de uma iniciativa estimuladora, que tem reflexos até na matrícula da rede de Educação Profissional, que já tem mais de 120 mil inscritos. Além disso, devemos completar a meta inicial em três anos e não em quatro, como estava previsto inicialmente”, comemora o secretário estadual da Educação, Walter Pinheiro.
E tem mais órgãos do Estado envolvidos. O contrato é gerenciado pelas fundações Luís Eduardo Magalhães (Flem) e Estatal Saúde da Família (Fesf-SUS) e fiscalizado pela Secretaria da Administração do Estado (Saeb), que ainda é responsável pelos pagamentos. A Casa Civil também está envolvida, pois é na unidade que está instalado um comitê, responsável pela recepção das solicitações de contratações dos órgãos. A Casa Civil integra a engrenagem, ainda, pela elaboração da legislação do programa.
Contratações - Para ter a chance de contração é preciso manter o cadastro atualizado. Os números do Primeiro Emprego poderiam ser ainda mais exitosos, pois muitos profissionais foram encaminhados, mas não contratados por problemas no cadastro. Os egressos devem inserir ou atualizar os dados por meio da página eletrônica www.primeiroemprego.setre.ba.gov.br.
Os acordos ficam vigentes por 24 meses, no âmbito estadual, e as empresas privadas decidem pela manutenção ou não das contratações. Nos órgãos estaduais – 54 contam com trabalhadores oriundos do Primeiro Emprego -, o contemplado recebe salário mínimo, plano de saúde (Planserv) e vale transporte.

Contratados do Programa Primeiro Emprego são recebidos pelo secretário Pinheiro

 

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, recebeu, na tarde desta terça-feira (30), no gabinete do órgão central, 35 contratados do Programa Primeiro Emprego. No encontro, Pinheiro conversou com os participantes sobre a política de governo em oportunizar aos estudantes egressos da rede estadual uma chance no mundo do trabalho, além dos objetivos para 2018 com a ampliação do número de vagas do Programa e melhoria da educação em todo o estado.

“Temos realizado um intenso trabalho para desenvolver um novo eixo pedagógico para as escolas visando uma melhor educação em todas as ofertas de ensino para dar condições ao estudante de seguir algo que ele de fato se identifique. O Programa Primeiro Emprego dá essa oportunidade do aluno egresso experimentar o que foi aprendido, e até mesmo, verificar se na prática é aquilo que ele mesmo esperava da profissão. Até o final de 2018 chegaremos à meta do Governo do Estado de 9.000 vagas ofertadas”, destacou Pinheiro.
No bate-papo, o secretário ainda motivou o empenho de todos durantes os dois anos de Programa. “A minha mensagem é que façam o melhor para aprender e desempenhar um ótimo papel como profissionais. Esse é o momento de utilizarem o que foi aprendido para realmente explorarem seu conhecimento, e claro, absorverem novos”, destacou.
Esse é o objetivo de Milton Alvino, 19 anos, técnico de nível médio em Administração, morador do município de Caetité. Há dois meses ingressou na Universidade Estadual da Bahia e afirma que já vem aprendendo muito. “Não tenho o que reclamar. Essa oportunidade vem dando outro caminho para meu caminho profissional. Poder me formar e já ingressar em um emprego com carteira assinada, e na minha área, está fazendo muita diferença para dar continuidade à profissão que sempre busquei”, ressaltou.