SAC Educação chega a 305 mil atendimentos

O SAC Educação chega à marca dos 305 mil atendimentos. Implantado pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, o serviço de atendimento aos profissionais da Educação funciona com a proposta de desburocratizar o atendimento a professores e servidores da Educação, com a oferta de 120 serviços voltados à vida funcional. Dentre as demandas mais procuradas estão o serviço de Licença Prêmio, Aposentadoria e Abono de Permanência, além de gratificações salariais, progressões na carreira, mudança de carga horária a benefícios de quinquênio e adicionais.
“Trata-se de uma proposta pioneira de atendimento mais humanizado e qualificado, com a dignidade que os profissionais da Educação do Estado merecem. Buscamos, cada vez mais, aprimorar os conhecimentos em legislação docente para que o serviço seja seguro, preciso e ágil”, destaca a coordenadora do SAC Educação, Luciana Oliveira.
Os resultados deste atendimento são refletidos no nível de aprovação do serviço, que chega a 87,2%, conforme levantamento da Ouvidoria da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. “Este resultado é fruto de um trabalho de equipe que preza pela presteza no atendimento e pela qualidade das informações, bem como pelo zelo e pela honra do serviço público. Para 2017, a nossa expectativa é aprimorar, ainda mais, o atendimento para que o nosso público possa ser atendido cada vez melhor”.
O SAC Educação oferece unidades em Salvador e em Feira de Santana, sendo que a primeira foi inaugurada há sete anos e a segunda, há quatro. No SAC da capital baiana, foram registrados, somente em 2016, 37.114 atendimentos, sendo que até o dia 30/12 este número deverá chegar a 38 mil. Já no de Feira foram computados 10.688 mil atendimentos, devendo chegar a 11 mil até o  penúltimo dia do ano, quando o serviço funcionará normalmente.
A unidade do SAC Educação em Feira de Santana – que já registra mais de 30 mil atendimentos em quatro anos de implantação – atende aos 27 municípios que compõem o Núcleo Regional de Educação de Feira de Santana (NRE 19). Os servidores que não são de Salvador têm a opção de buscarem os serviços de Recursos Humanos por meio dos NREs. Os profissionais de Educação podem consultar os serviços disponíveis pelo SAC Educação e os documentos necessários para efetivá-los através do Portal da Educação (sac.educacao.ba.gov.br), no link “Educadores”.
Reconhecimento
A professora Edilene Rodrigues, do Colégio Estadual Alfredo Agostinho de Deus, do município de Lauro de Freitas, é uma das testemunhas sobre o bom funcionamento do SAC Educação. Ela, que se dirigiu à unidade de Salvador para solicitar o seu Abono Permanência, revela que achou “ótimo” o atendimento. “Já vim aqui outras vezes e sempre fui muito bem atendida. O serviço é satisfatório e posso acompanhar o andamento do processo da minha casa, através do Portal da Educação”, diz. A também professora Caroline Nascimento, do Colégio Estadual Márcia Meccia, em Salvador, acrescenta: “O melhor do SAC Educação é a agilidade no atendimento”.
Serviços de saúde
No SAC Educação, em Salvador, também são prestados serviços no âmbito do Programa Saúde do Professor, nas áreas de Fonoaudiologia, Fisioterapia, Nutrição e Psicologia. O serviço é oferecido com hora marcada, das 8h às 17h, por meio do número (71) 3117-1434. Para o professor que necessitar de acompanhamento após o atendimento no SAC Educação, a Secretaria da Educação conta com as parcerias de mais de 30 universidades e faculdades, onde os professores podem frequentar os serviços de Saúde destas instituições.
Onde encontrar os serviços do SAC Educação:
- Salvador: Av. da França, S/N, Instituto de Cacau, 1º andar. Horário de atendimento: segunda a sexta-feira, das 7h às 17h.
- Feira de Santana: Rua Vasco Filho, S/N, Centro, próximo ao Terminal Rodoviário. Horário de atendimento: segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

Últimos dias para a renovação da matrícula na rede estadual

 

 

Com o final do ano letivo nas escolas estaduais, os pais, mães e responsáveis devem ficar atentos para o calendário de matrícula. Os estudantes que já estudam na rede estadual têm até o dia 30 de dezembro para realizar a renovação da matrícula.O estudante que não renovar a matrícula neste período, perderá a vaga em sua escola atual. Se o aluno perder o prazo, vai ter que mudar de escola e fazer nova matrícula no dia 24 de janeiro de 2017, em uma das unidades escolares da rede estadual com vagas disponíveis A ma­trí­cula segue de 24 a 31 de ja­neiro para alunos que irão mudar de es­colas e alunos novos (Veja cronograma abaixo).

Todos os estudantes já matriculados e com frequência regular nas escolas estaduais podem fazer a renovação da matrícula pela internet. Para tanto, os pais, mães, responsáveis ou estudantes maiores de 16 anos, devem digitar o código na carta de renovação que o aluno recebe na escola no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br/matricula). Esta carta de renovação deverá ser devolvida à secretaria escolar para efetivar a renovação da matrícula.

Além da internet, quem preferir pode fazer a renovação presencialmente nas secretarias das escolas. É importante também observar se há alguma pendência de documentação junto à secretaria escolar para a atualização dos dados do estudante. O estudante também deve levar comprovante de residência, independentemente de ter mudado de endereço.

Para mais informações acesse: www.educacao.ba.gov.br

Alfabetização na idade certa beneficia 700 mil crianças.

 

A estudante Evelyn Vitória de Jesus Lima, 7 anos, aluna do Escola Municipal do Natal, em Camaçari, é uma das 768.993 crianças beneficiadas pelo Programa Educar para Transformar, graças ao regime de colaboração entre a Secretaria da Educação do Estado e 413 municípios baianos. Por meio desta parceria, a Secretaria tem contribuindo com a alfabetização das crianças, com letramento, até os oito anos de idade, fornecendo material didático e realizando formação de professores alfabetizadores.
Só em 2016, a Secretaria da Educação do Estado distribuiu mais de 1 milhão e 700 mil livros às prefeituras para contribuir na alfabetização, com letramento, das crianças. Destes, 798 mil livros são de literatura infantil, de 19 autores baianos, referenciados na realidade da Bahia, com linguagem e ilustrações, que criam nas crianças uma identificação e contribuem para o processo de ensino e de aprendizagem. Os outros são de Língua Portuguesa, elaborado em parceria com o Estado do Ceará, e o de Matemática, construído por uma equipe de pesquisadores, sob a coordenação da Secretaria de Educação do Estado da Bahia.
Com este material foi muito mais fácil para Evelyn Vitória aprender a ler. “A gente aprende a ler, escrever e contar histórias com esses livros. Também tem a parte de pintar e cantar que são muito divertidos. Gosto de vir para a escola porque posso estar próximo dos livros e meus colegas. Eu até ajudo quando eles estão com dificuldade”, comemora.
Em Camaçari, crianças de 67 escolas municipais foram beneficiadas com este material didático, que por ser referenciado na realidade baiana, causam identificação nas crianças e facilitam o processo de ensino e aprendizagem, conforme ressalta a coordenadora do programa em Camaçari, Fabiana Silva. “Este material faz uma grande diferença porque é um conteúdo dinâmico e contextualizado com a realidade e linguagem adequada à idade. Por isso tanto os professores, quantos os estudantes se identificam com este material, que é utilizado de diversas formas, em sala de aula, com a aplicação de métodos pedagógicos”, explicou.
Professora do 1º ano do ensino fundamental da Escola Municipal do Natal, em Camaçari, Ana Cláudia dos Santos, afirmou que “os livros disponibilizados pelo Governo Estado nos auxilia bastante no trabalho com as crianças. É um conteúdo que dá para trabalhar livremente porque eles se interessam, leem e participam de tudo”, contou.
Formação
O regime de colaboração com os municípios possibilitou a formação, em 2016, de 38.295 professores alfabetizadores, envolvendo toda uma metodologia e organização de trabalho para uso do material didático disponibilizado, por meio do Pacto Nacional e o Pacto Estadual pela Alfabetização na Idade Certa. A ação também alcança 413 coordenadores locais e 1.253 orientadores de estudo.
Esta formação tem contribuído para uma nova dinâmica em sala de aula, no processo de alfabetização das crianças. Os professores são estimulados a utilizar jogos cognitivos, brincadeiras interativas, desenhos e ilustrações que fazem da sala de aula um espaço lúdico e de maior aprendizagem. No Cantinho de Leitura, por exemplo, os livros são disponibilizados para os estudantes de forma livre para que manuseiem e possam ter contato com as obras literárias. Já na Maleta de leitura, o aluno leva os livros para casa e depois conta a experiência da leitura com a participação dos pais.
Há seis anos lecionando na Escola Municipal do Natal, Ana Cristina Bueno, também professora do 1º ano fundamental, fala sobre a importância da formação. “Esta parceria para contribuir de forma muito consistente para nós alfabetizadoras, porque conseguirmos alfabetizar de forma prazerosa. Nós temos alunos que chegaram aqui inseguros e rabiscando, e hoje vemos eles com um bom domínio silábico-alfabético”, sorri.

Secretaria orienta sobre devolução de Livros Didáticos.

O ano letivo na rede estadual de ensino chegou ao final e os estudantes devem devolver os livros didáticos utilizados em 2016. Doados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), os livros são distribuídos aos estudantes da rede pública, que devem fazer a devolução de acordo com o prazo determinado pelas unidades escolares.

Este ano, somente os estudantes do 1º ao 5º ano do ensino fundamental e ensino médio precisam devolver os livros, que serão reutilizados em 2017 por outras crianças. Os alunos do ensino fundamental 2 terão os livros substituídos por novos títulos e não precisam fazer a devolução, já que o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), do Ministério da Educação, estabelece um período de três anos para o uso efetivo do livro em sala de aula.
O gestor da escola deve ficar atento ao cumprimento da Resolução CD/FNDE nº 42/2012, que orienta sobre o descarte dos livros após o encerramento do ciclo trienal de atendimento. O material que ainda tiver condição de uso será doado sem encargo aos estudantes da rede, para que funcione como instrumento de pesquisa. No caso da inexistência de interesse por parte dos estudantes, os livros permanecerão na unidade escolar sob a responsabilidade do diretor, que deverá adotar providências para o seu descarte, seguindo as orientações da Secretaria da Educação do Estado.
Conservação - Para que os livros fiquem em condições de serem reutilizados pelos estudantes dos anos seguintes, a coordenadora de Monitoramento do Livro Didático da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Alessandra Santana, esclarece que os diretores das escolas devem promover campanhas de conservação e devolução dos livros. “Orientamos aos gestores o trabalho de conscientização entre os alunos das escolas a preservar os livros didáticos para que outros alunos possam utilizar os mesmos”, afirmou.

últimos dias para renovação da matrícula na rede estadual

 

Com o final do ano letivo nas escolas estaduais, os pais, mães e responsáveis devem ficar atentos para o calendário de matrícula. Os estudantes que já estudam na rede estadual têm até o dia 30 de dezembro para realizar a renovação da matrícula.O estudante que não renovar a matrícula neste período, perderá a vaga em sua escola atual. Se o aluno perder o prazo, vai ter que mudar de escola e fazer nova matrícula no dia 24 de janeiro de 2017, em uma das unidades escolares da rede estadual com vagas disponíveis A ma­trí­cula segue de 24 a 31 de ja­neiro para alunos que irão mudar de es­colas e alunos novos.
Todos os estudantes já matriculados e com frequência regular nas escolas estaduais podem fazer a renovação da matrícula pela internet. Para tanto, os pais, mães, responsáveis ou estudantes maiores de 16 anos, devem digitar o código na carta de renovação que o aluno recebe na escola no Portal da Educação. Esta carta de renovação deverá ser devolvida à secretaria escolar para efetivar a renovação da matrícula.
Além da internet, quem preferir pode fazer a renovação presencialmente nas secretarias das escolas. É importante também observar se há alguma pendência de documentação junto à secretaria escolar para a atualização dos dados do estudante. O estudante também deve levar comprovante de residência, independentemente de ter mudado de endereço.

Política de formação é apresentada durante reunião do Forprof.

A proposta da nova Política Estadual de Formação e Desenvolvimento dos Profissionais da Educação Básica foi apresentada aos membros que compõem o Fórum Estadual Permanente de Apoio a Formação Docente (Forprof/BA), durante reunião realizada nesta segunda-feira (19/12), no Instituto Anísio Teixeira (IAT). O Encontro teve como objetivo a elaboração do plano estratégico para o cumprimento das metas dos planos nacional, estadual e municipais de educação. A reunião contou com a presença de representantes das Instituições Públicas de Ensino Superior (IES).

Para o diretor-geral do IAT e vice-presidente do Forprof, a reunião foi bastante produtiva.  “Estamos buscando aprimorar cada vez mais a proposta da nova política de formação de professores da educação básica. Para a nossa satisfação, nós ouvimos muitos elogios sobre a arquitetura do projeto, além de sugestões e propostas que vão nos encaminhar para realizar um bom trabalho daqui para frente”, comemorou Severiano.

A proposta, que está sendo construída pelo IAT, em articulação com a Superintendência de Políticas Educacionais (Suped), tem como meta cumprir os planos nacionais e estadual de educação, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação e o decreto Nº 8.752, que trata da Política Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica, garantindo a melhoria da qualidade da educação básica.

 

Walter Pinheiro fala sobre políticas públicas da Educação na OEA

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, participou, nesta segunda-feira (12), na sede da organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington (EUA), de uma reunião do Conselho Diretor do Virtual Educa. A reunião é preparatória para o 19º En­contro In­ter­na­ci­onal Vir­tual Educa 2018, que será realizado pela primeira vez no Brasil e terá como sede a Bahia.
Durante a reunião, Pinheiro apresentou dados referentes à rede estadual de ensino e destacou as políticas públicas implementadas pelo Governo do Estado nas escolas, por meio do Programa Educar para Transformar, para melhorar a qualidade da educação pública na Bahia. Também participaram da reunião, o secretário de Turismo do Estado, José Alves, o secretário geral do Virtual Educa, José Maria Antón e o presidente da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), Ruben Delgado.
Neste contexto, o secretário citou o regime de colaboração entre o Estado e 414 municípios baianos, para garantir a alfabetização, com letramento, a mais de 870 mil crianças na idade certa. Isto implica na distribuição de 1 milhão e 500 mil livros didáticos, além da formação dos professores das redes municipais. Na Bahia, que tem a maior população rural do País (cerca de 3,7  milhões de habitantes), Pinheiro falou sobre a oferta do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica, por meio do qual, o Estado garante que os estudantes que moram nas áreas remotas da Bahia, tenham acesso à educação e concluam o Ensino Médio.
Dentre outras coisas, o secretário também citou o desenvolvimento de projetos de arte, esporte e cultura, promovendo o protagonismo estudantil. Ele destacou o projeto Ciência na Escola, que potencializa o estudo das ciências em sala de aula, por meio da experimentação científica, da inovação e do empreendedorismo. O secretário também falou sobre o empenho do Estado na formação dos jovens e trabalhadores para o mundo do trabalho, com a oferta dos cursos técnicos de nível médio e de qualificação profissional.
“O que buscamos é uma educação com qualidade, com conectividade e, principalmente, garantir o acesso de todas as crianças à educação, e para os jovens, uma perspectiva de caminho para educação superior e também de inserção no mundo do trabalho”, afirmou Pinheiro.
Neste sentido, o secretário disse que há uma preocupação do Estado com a formação continuada dos professores para o uso de novas tecnologias. Uma das iniciativas foi a formação de mais de 24 mil professores com o curso de Aperfeiçoamento em Tecnologias Educacionais. “A formação continuada dos professores é um ponto de partida para o uso de tecnologia. Outra questão é que a rede estadual de educação possui cobertura em todas as cidades da Bahia, mas há uma deficiência na rede de banda larga, o que é, portando, um desafio para 2018, quando queremos apresentar ao mundo e para a Bahia, a ruptura da estrutura de internet com baixa velocidade e uma internet com banda larga em todos os cantos, com uma cobertura total em todo o Estado”, afirmou.
Pinheiro falou, ainda, sobre a importância da produção de conteúdo, o que já vem sendo feito por professores da rede estadual, por meio da Rede Anísio Teixeira. Todos os conteúdos educacionais, como videoaulas e games, estão disponíveis no Portal da Educação para livre acesso por estudantes e professores.
Por fim, o secretário falou sobre a educação referenciada na realidade local, destacando, inclusive, a edição e distribuição de livros pelo Estado. “O que se pretende, com isso, é uma educação associada a sua vida local, com o desafio de fazer com que nossos alunos acessem novos conhecimentos, práticas e ferramentas tecnológicas. Portanto, temos o desafio de juntar todo mundo pela educação da Bahia. O ano de 2017 é um ponto de partida, com o Virtual Educa, e o ano de 2018 será o ponto de chegada, para a gente comunicar ao mundo que na Bahia, quando todo mundo se junta a educação melhora”.

Na China, estudante apresenta projeto de combate ao bullying

A es­tu­dante Rayssa Ro­dri­gues, 12 anos, 7° ano, do Co­légio Es­ta­dual Pro­fessor Hermes Mi­randa do Val, lo­ca­li­zado em Si­mões Filho, está vivendo dias inesquecíveis em Pequim, na China. Desde a última quarta-feira (06), ela está em viagem para o Oriente, onde re­pre­senta o Brasil na Be The Change Con­fe­rence, em Pe­quim, com a apresentação do projeto Grupo de Apoio e Conselhos (GAC), que a aluna desenvolveu junto com os colegas para ajudar a enfrentar questões que podem afligir jovens e crianças em qualquer lugar do mundo, como o bullying, o preconceito e a baixa autoestima.
O evento anual reú­ne cri­anças e jo­vens de vá­rios países que são pro­ta­go­nistas de pro­jetos vol­tados para so­lu­ções cri­a­tivas em suas es­colas e co­mu­ni­dades. Para Rayssa, este é um momento único. “Eu estou muito feliz. Está sendo uma experiência emocionante, cheia de aprendizagem. Tudo aqui descreve emoção, descreve aprendizado. Está sendo muito incrível! Estou aprendendo maneiras novas de comunicação. Esta viagem me motivou a querer muito mais a aprender outros idiomas e é uma experiência que vou levar daqui para a vida toda”, comemora.
O frio e a temperatura em torno de 2º C foram algumas das novidades que Rayssa encontrou no Oriente. Mas a estudante está aproveitando cada momento da viagem. Ela fez questão de vestir a camisa da escola onde estuda e falou com orgulho, na hora da apresentação, sobre o GAC. “A apresentação da gente foi muito emocionante, porque tudo tinha verdade e emoção. Acho que a gente conseguiu passar muito bem”, afirma ao acrescentar que tudo é muito intenso. “São muitas coisas que estou vivendo que, se for descrever em uma palavra, é imensidão”, comemora.
Na Be The Change Con­fe­rence, Rayssa falou sobre o “Grupo de Apoio e Conselhos” (GAC), que envolve  alunos de diferentes idades e que contribuem para mudar a realidade escolar, por meio do diálogo e do enfrentamento destes problemas. Em 2015, o GAC foi premiado no concurso “Desafios Criativos da Escola”, uma iniciativa do projeto “Criativos da Escola”, do Instituto Alana, que credenciou a estudante a viajar na companhia da professora e orientadora do projeto, Simone Bocaiuva.
A professora Simone fala, orgulhosa, sobre a participação no evento. “A apresentação foi emocionante e muito receptiva. Todos gostaram e parabenizaram Rayssa pela maturidade e desenvoltura”, afirma, ao destacar que “somos a representação de uma educação pública que faz a diferença e acredita no protagonismo juvenil, na autonomia e no acolhimento”.

Escolas realizam Virada Educacional Bahia nesta terça-feira

As escolas estaduais irão promover, nesta terça-feira (6), 12 horas seguidas de atividades para integrar as escolas, as famílias e a comunidade local. Trata-se do “#TransformaÊ: Virada Educacional Bahia”, que será realizado simultaneamente em escolas da capital e do interior. Através da iniciativa da Secretaria da Educação do Estado serão realizadas atividades como oficinas, debates, exibição de filmes, intervenções sociais, revitalização de espaços, exposições artísticas, jogos educativos e apresentações culturais.
Serão apresentados projetos de arte, esporte, cultura, ciência, inovação e empreendedorismo que foram desenvolvidos durante o ano letivo 2016, promovendo o protagonismo estudantil. Além disso, o #TransformaÊ irá oportunizar discussões sobre potencialidades e metas para o Ano Letivo de 2017. Todas as ações têm como foco a valorização da escola pública e uma das perspectivas é a de que o evento também fortaleça, nos estudantes, o sentimento de pertencimento da escola pública como um bem de todos, fazendo com que contribuam com a preservação do patrimônio público.
O Centro Estadual de Educação Magalhães Neto, por exemplo, irá fazer uma grande ação na Estação da Lapa. No Colégio Estadual da Bahia (Central), as atividades irão reunir estudantes das três unidades que funcionam nas instalações do Central: Colégio Central, Centro Juvenil de Ciência e Cultura e o Centro Noturno de Educação da Bahia (Ceneb). Na região Central da cidade, também estão mobilizados estudantes e professores da Escola Estadual Severino Vieira, do Colégio Ypiranga, do Colégio Estadual Dionísio Cerqueira e do Colégio Estadua Senhor do Bonfim.
Algumas ações da Virada Educacional, no entanto, já começam nesta segunda-feira (05), como é o caso da Mostra de Projetos de Pesquisa de estudantes premiados para a Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia 2016 (FECIBA), a partir das 9h, no Instituto Anísio Teixeira (IAT). Na mostra, que segue até terça-feira (6), os estudantes premiados na FECIBA irão receber bolsas de iniciação científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq),  no âmbito do Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. No IAT, também haverá apresentação de albuns patrimonias do projeto Educação Patrimonial e Artística (EPA) e especialistas convidados julgarão os projetos estruturantes de arte e cultura dos estudantes que foram pré-selecionados nas etapas escolares e regionais.

Estudantes participam de atividades sobre prevenção ao HIV/AIDS

Antecipando as atividades em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS (1º de dezembro), estudantes de dez escolas estaduais do Subúrbio Ferroviário de Salvador participaram, nesta quarta-feira (30), do II Encontro de estudantes e profissionais da Educação e da Saúde na prevenção ao HIV/Aids no contexto escolar. A atividade, realizada no Colégio Estadual Raymundo Matta, no Lobato, contou também com professores e profissionais de unidades básicas de saúde dos distritos sanitários responsáveis pelo território no qual às escolas estão localizadas. A iniciativa é desenvolvida em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).
O objetivo é promover uma maior sensibilização e conscientização dos estudantes sobre a doença, cujo contágio tem aumentado entre adolescentes e jovens na faixa-etária entre 15 e 24 anos, segundo o Ministério da Saúde. Outra perspectiva é fazer com que eles sejam multiplicadores destas informações contribuindo para o processo de prevenção, além de promover a saúde no contexto escolar. Nesta perspectiva, durante toda a tarde, os estudantes participaram de palestras e oficinas sobre o tema, que retratam as formas de contágio e as medidas que devem ser adotadas para a prevenção.
A estudante Maiane Matos, 18 anos, do Colégio Clériston Andrade, destaca que a atividade é importante porque alerta sobre as consequências da doença. Para a aluna, as pessoas devem estar sempre alertas e não devem descuidar da prevenção. “Eu acho que a gente precisa se informar cada vez mais e conversar muito com os colegas. Eu procuro sempre esta troca com meus amigos pelas redes sociais”, afirma.