Escolas estaduais participarão da virada educacional #TransformaÊ

As escolas estaduais irão promover, no dia 6 de dezembro, 12 horas seguidas de atividades para integrar as escolas, as famílias e a comunidade local. Trata-se do “#TransformaÊ: Virada Educacional Bahia”, que será realizado simultaneamente nas escolas da capital e do interior. Através da iniciativa da Secretaria da Educação do Estado serão realizadas atividades como oficinas, debates, exibição de filmes, intervenções sociais, revitalização de espaços, exposições artísticas, jogos educativos e apresentações culturais.
As escolas estaduais já estão sendo mobilizadas e se preparando para a atividade que possibilitará a troca de experiências, a apresentação de projetos de arte, esporte, cultura, ciência, inovação e empreendedorismo que são desenvolvidos durante o ano letivo 2016, promovendo o protagonismo estudantil. Além disso, o #TransformaÊ irá oportunizar discussões sobre potencialidades e metas para o Ano Letivo de 2017. Todas as ações têm como foco a valorização da escola pública e uma das perspectivas é a de que o evento também fortaleça, nos estudantes, o sentimento de pertencimento da escola pública como um bem de todos, fazendo com que contribuam com a preservação do patrimônio público.
Concurso cultural – Como desdobramento da iniciativa, em dezembro será lançado o Concurso Cultural “#TransformaÊ: eu vivi”. Para participar, os estudantes deverão fazer fotografias da Virada Educacional Bahia e que represente o conceito do #TransformaÊ. Será escolhida uma fotografia por cada um dos 27 Territórios de Identidade para compor o “Livro da Virada”. A Comissão de seleção será composta por membros da Secretaria da Educação e outras Secretarias. Maiores informações sobre o concurso serão divulgadas posteriormente.
Outra ação importante é a elaboração de uma Carta Aberta pelas unidades escolares. Alinhados ao plano de ação dos/as líderes de classe e ao plano de gestão, a comunidade escolar deverá elaborar uma Carta Aberta com princípios e metas a serem atingidas durante todo o ano letivo de 2017. Formação de Grêmios Estudantis, difusão da cultura local e aumento da taxa de matrícula servem como exemplos de desafios a serem concretizados.
Programação – Uma das unidades escolares participantes é a Escola Estadual Severino Vieira – Tempo Integral, localizada no bairro de Nazaré, em Salvador. As atividades acontecerão nos espaços como pátio, auditório, salas de Artes, Multimídia e salas de aulas. A programação inclui exposição de artes, oficinas, releitura de obras literárias, apresentações de teatro e de canto. Já os estudantes do Colégio Democrático Estadual Anísio Teixeira, em Potiraguá (527 km de Salvador), já saíram às ruas para divulgar a programação do Transformaê e mobilizar toda a comunidade local.

Reunião discute política de formação para educação básica

Um grupo formado por cerca de 150 pessoas, entre representantes dos Núcleos Regionais de Educação e formadores do Programa de Gestão de Aprendizagem Escolar (Gestar), estão reunidos no Gran Hotel Stella Maris, em Salvador, para conhecer e contribuir com a construção da nova Política Estadual de Formação e Desenvolvimento dos Profissionais da Educação Básica. A intenção é garantir avanços na qualidade do ensino fundamental, por meio do cumprimento da Lei de Diretrizes e Bases da Educação e do Decreto 8.752. Participa também do encontro o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

Promovido pela Secretaria da Educação do Estado, por meio do Instituto Anísio Teixeira (IAT), em articulação com a Superintendência de Políticas para a Educação Básica (Suped), o evento segue até esta terça-feira (29). Os itens da nova política devem ser definidos até o fim do ano, para que as ações previstas sejam implantadas já a partir de 2017.
A valorização e o reconhecimento do educador, por meio de estímulos à formação, bem como a melhoria salarial, estão entre as prioridades da política. O diretor-geral do IAT, Severiano Alves, destaca que é impossível melhorar os índices educacionais sem estimular e preparar os professores. “Isso é constitucional”.
Severiano explica ainda que em razão de o governador Rui Costa ter a educação como “bandeira número 1 de toda a administração” e o IAT ser responsável por “requalificar professores para a educação básica”, o Governo do Estado também deve auxiliar as prefeituras a qualificar professores para a educação infantil.
“O MEC [Ministério da Educação] recebeu a proposta para ajudar na parte financeira da formação e está representado aqui hoje para declarar que este é um projeto viável, avançado. Para nós, é um orgulho este projeto ser modelo nacional. Vamos requalificar professores da rede pública estadual e das redes municipais para atuarem na educação infantil, [ensino] fundamental e [ensino] médio”, afirma o diretor-geral do IAT.
Qualificação da rede estadual
Para o titular da Suped, Ney Campello, a participação dos educadores no desenvolvimento da política reafirma o tom democrático entre Governo e profissionais da educação. “Se a gente fortalece e ouve a escola, gestores, professores e estudantes, enriquecemos o processo de elaboração da secretaria. E isso retorna em forma de serviços mais qualificados para toda a rede”.
A diretora de formação de professores do IAT, Luciana Bloisi, é uma das colaboradores da política. Na opinião dela é primordial que educadores de todas as partes do estado contribuam com sugestões, pois cada região tem suas peculiaridades. Ela acredita que desta forma o saber se torna mais atrativo, evitando, por exemplo, a evasão escolar. “Um dos princípios adotados por nós, na estruturação deste projeto para 2017, é a questão da interculturalidade, levando em consideração o que é importante na cultura e no cotidiano escolar”.
Já na opinião da supervisora pedagógica do Gestar, professora Rosana Reis Rios, participar do processo de construção da política é um privilégio e abrirá oportunidades à categoria. “É um lugar de voz e vez do professor. Um momento ímpar na história do Instituto Anísio Teixeira e para a educação da Bahia. Um momento de transição em que pesa ao IAT voltar-se para uma política de formação muito mais abrangente. Consideramos de suma importância porque é preciso empoderar o professor, oferecer novas possibilidades e ampliar seus horizontes conceituais”.

Renovação de Matrícula 2017 começa nesta segunda-feira (28)

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou o Cronograma de Matrícula para o Ano Letivo de 2017. Com o objetivo de proporcionar maior comodidade e agilidade à entrada de estudantes na rede estadual de ensino, a Secretaria da Educação disponibiliza o Sistema de Matrícula Online, por meio do qual os alunos, pais e/ou responsáveis, podem realizar a Matrícula para o Ano Letivo de 2017 pela internet em Salvador e mais 26 municípios do interior (Veja abaixo). Basta acessar.
O processo começa com a renovação de matrícula a partir desta segunda-feira (28) e prossegue até 30/12, exclusivamente, para os alunos que já estão matriculados, com frequência regular no ano letivo de 2016, nas escolas estaduais. A matrícula segue de 24 a 31 de janeiro para alunos que irão mudar de escolas e alunos novos.
Todos os estudantes já matriculados na rede estadual podem fazer a renovação pela internet. Para tanto, os pais, mães, responsáveis ou estudantes maiores de 16 anos, devem digitar o código da carta de renovação, que o aluno recebe na escola, no sistema da matrícula online. Esta carta de renovação deverá ser devolvida à secretaria escolar para efetivar a renovação da matrícula.
Além da internet, quem preferir pode fazer a rematrícula presencialmente nas secretarias das escolas. É importante também observar se há alguma pendência de documentação junto à secretaria escolar para a atualização dos dados do estudante. O estudante também deve levar comprovante de residência, independentemente de ter mudado de endereço.
De acordo com a Diretora de Planejamento e Atendimento da Rede Escolar, da Secretaria da Educação do Estado, Eliana Carvalho, os estudantes, pais e responsáveis devem ficar atentos ao prazo para não perderem a vaga nas escolas que os alunos já estudam. “O estudante que não renovar a matrícula no período indicado perderá a vaga em sua escola atual. No entanto, poderá efetuar nova matrícula em 24 de janeiro de 2017, em uma das unidades escolares da rede estadual com vagas disponíveis”, explica a gestora.
O cronograma de matrícula da rede estadual de ensino abrange toda a Educação Básica e suas modalidades, incluindo a matrícula para a Educação Profissional, na qual são ofertados cursos técnicos de nível médio e de Educação de Jovens e Adultos (EJA).
Internet - Além de Salvador, a matrícula pela internet também poderá ser feita por estudantes, que são concluintes da 4ª série/ 5º ano e 8ª série/9º ano, oriundos das redes municipais de 26 municípios: Barreiras, Barro Preto, Barrocas, Brejões, Camaçari, Catu, Dias D’Ávila, Encruzilhada, Eunápolis, Feira de Santana, Glória, Gongogi, Ipirá, Itaberaba, Itapetinga, Lamarão, Luís Eduardo Magalhães, Macajuba, Madre de Deus, Mundo Novo, Paulo Afonso, Porto Seguro, São José da Vitória, Serrinha, Simões Filho e Vitória da Conquista. Em Salvador e Camaçari, se o aluno não tiver acesso a internet, poderá realizar a matrícula pela WEB utilizando o computador da própria escola onde está matriculado.
Documentação – Para efetuar a matrícula é necessário apresentar documentos como original do Histórico Escolar ou Atestado de Escolaridade, firmado pela direção da unidade escolar, originais e cópias da Certidão de Registro Civil ou carteira de identidade (RG), do CPF (obrigatório para Educação Profissional) e do comprovante de residência. Também é preciso apresentar o Código do SETPS (constante no Salvador Card) para as escolas do município de Salvador.

Secretaria da Educação promove V Encontro para a Diversidade

Para ampliar as discussões sobre Educação para a Diversidade e trocar experiências que reflitam na prática pedagógica, estudantes, educadores e gestores escolares participam, nestas segunda e terça-feira (21 e 22), no auditório da Secretaria da Educação do Estado, do V Encontro para a Diversidade: desafios e perspectivas inclusivas em educação no Século XXI. O evento, realizado em parceria com a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e a Faculdade Maurício de Nassau, faz parte da agenda da Educação para o Novembro Negro.
A programação conta com palestras e mesas-redondas com professores e acadêmicos, além de apresentações culturais e exibição do filme Bem-vindo a Marly-Gomont. Dentre os assuntos abordados no encontro, destacam-se: Educação Inclusiva, Um Olhar Sobre a Diversidade na Educação, Educação e Religiosidade.
O superintendente de Políticas para a Educação Básica, Ney Campello, falou sobre a importância da Lei 10.639/03, que determina a obrigatoriedade do ensino da história e culturas afro-brasileira e africana nas redes públicas e particular de ensino. “É essencial que na Bahia sejam implementadas as diretrizes da Lei 10.639/03 para que se fortaleça a Educação para a Diversidade”, destaca.
Maise Evangelista dos Santos, 17, que cursa o 2° ano no Colégio Estadual Sete de Setembro, aproveitou a ocasião para explicar sobre o projeto de iniciação científica que desenvolve na escola, o Kayodê. “O tema do nosso projeto é a Diversidade Religiosa na Escola dentro do qual aplicaremos um questionário para identificar a identidade religiosa dos estudantes e trabalhar de forma focada para saber o que eles pensam sobre religião”, afirma.
Para a professora de História da unidade escolar, coordenadora do projeto e do evento, Dayse Luciano Santos, o projeto é muito importante. “Através do projeto, descobrirmos que a comunidade escolar era formada por 76% de estudantes cristãos, o que motivou a trazer a discussão para a escola sobre a identidade do negro evangélico e que conta com a participação ativa dos estudantes. O projeto visa a construção da identidade étnico-racial através de atividades como capoeira, dança afro, orquestra de berimbau e outras”, explica a educadora.
A estudante de Pedagogia da Faculdade Maurício de Nassau, Priscila Nascimento, diz que a participação no evento é enriquecedora. “As discussões sobre os temas tratados, a exemplo de Educação e Religiosidade, vão contribuir muito para a nossa formação e de como podemos lidar com os futuros educandos ao trabalharmos a diversidade em sala de aula”, conclui.
Videoconferência - Paralelamente ao encontro, nesta segunda-feira, a Secretaria da Educação do Estado promoveu uma videoconferência sobre a Lei 10.639/03, no Instituto Anísio Teixeira (IAT), com retransmissão para as telessalas dos Núcleos Regionais de Educação (NRE). A videoconferência contou com a presença do professor, pesquisador e fundador do Conselho da Comunidade Negra do Estado de São Paulo, Helio Santos.
Outras atividades – Dando continuidade à programação do Novembro Negro na Educação, também estão sendo realizadas diversas atividades nas escolas. Nas quarta e quinta-feira (23 e 24), o Colégio Estadual Eraldo Tinoco, instalado na comunidade quilombola, no distrito de Santiago do Iguape, em Cachoeira, sediará o seminário Educação Escolar Quilombola, em Santiago do Iguapé (23), das 9h às 11h30, e o Projeto Consciência Negra, em Santiago do Iguapé (24). O Colégio Estadual Eraldo Tinoco é a primeira unidade da rede estadual a implantar as Diretrizes Curriculares da Educação Quilombola.
Em Salvador, até a próxima quinta-feira (24) acontece a Gincana Cultural do Colégio Estadual Democrático Bertholdo Cirilo dos Reis, localizado no bairro de Plataforma, com o tema “Sou Negro(a) com muito orgulho”.

Escolas estaduais representam a Bahia nos jogos da Juventude

 

Chegou ao fim mais uma edição dos Jogos Escolares da Juventude para estudantes atletas de 15 a 17 anos. A competição nacional, que iniciou no último dia 09 de novembro, com as disputas das modalidades individuais, foi encerrada neste sábado, dia 19, com as disputas das modalidades coletivas. Ao todo, a Bahia ganhou 10 medalhas, todas conquistadas nas disputas individuais: três de ouro, duas de prata e cinco de bronze.

Nas duas etapas (individuais e coletivos), veio à capital paraibana uma delegação formada por cerca de 200 pessoas, entre atletas, técnicos e dirigentes que viajaram para João Pessoa com passagens aéreas cedidas pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, em voos charters contratado pela autarquia estadual de esporte.
Nos coletivos, a Bahia foi representada da seguinte forma: no handebol, as equipes masculina e feminina são, respectivamente, dos Colégios Militar de Feira de Santana e Estadual Dulce Almeida, do município de Itagibá. O futsal, masculino e feminino; basquete e vôlei feminino, todos representados pelo Colégio Integral. Basquete e vôlei masculinos representados pelo Colégio Salesiano e Módulo, respectivamente.
Além de medalhas e perspectivas profissionais, participar de uma competição é importante para os futuros atletas, principalmente pela troca de experiências com outras equipes. A etapa nacional dos Jogos aproxima jovens de todos os cantos do país. Além de experiências inéditas para alguns, como viajar de avião, se hospedar em hotel e a dividir quartos com pessoas que não são da família.
O chefe da delegação da Bahia – na etapa coletiva –, Álvaro Oliveira Filho, entende que as conquistas vão além das medalhas. “Sabíamos das dificuldades nesta faixa-etária de 15 a 17 anos, sobretudo pela falta de competições de modo regular em Salvador. Tenho certeza que os atletas enriqueceram muito seus conhecimentos e o relacionamento com o esporte praticado em um nível mais elevado. Seguramente essa experiência eles jamais esquecerão”, disse o dirigente.
Para o ano que vem, a Sudesb pretende buscar, em parceria com a Secretaria da Educação da Bahia (SEC), viabilizar a participação de um maior número de escolas públicas no estado, na seletiva escolar local, a fim de fortalecer o nível técnico nas modalidades esportivas.
Jogos – Consolidado como o maior celeiro de atletas olímpicos do Brasil, os Jogos Escolares ultrapassam os limites das quadras, pistas, tatames e piscinas, levando cultura, educação e, sobretudo, cidadania a mais de 4 mil jovens de todo país. O evento – realizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) – aconteceu de 09 a 19 de setembro, nas modalidades de atletismo, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei e xadrez.
Os Jogos Escolares da Juventude têm organização do Comitê Olímpico do Brasil (COB), em parceria com Ministério do Esporte e Organizações Globo, recebendo também apoio do Governo da Paraíba e da Prefeitura Municipal de João Pessoa.

Estudantes socializam projeto que será apresentado na China

Com a seleção para participar, no mês de dezembro, em Pequim, na China, do Be The Change Conference, o Grupo de Apoio e Conselhos (GAC), formado por estudantes do Colégio Estadual Hermes Miranda do Val, em Simões Filho, começa a difundir a experiência entre estudantes de outras escolas da rede estadual. Nesta terça-feira (8), o grupo participou de um encontro com alunos do Grêmio Estudantil e Líderes de Classe, do Colégio Estadual Reitor Miguel Calmon, também no município, e apresentou o projeto que busca enfrentar questões como bullying, preconceito e baixa autoestima nas escolas. Na oportunidade também foram socializadas ações do Clube de Ciência.
O estudante Anderson Santos, 20 anos, contou que a experiência do GAC é enriquecedora. “O projeto motiva os participantes a dialogarem com os colegas incentivando o bom comportamento. Acho que a implantação desta ação no Miguel Calmon pode beneficiar a relação entre os próprios alunos, pois conseguimos atrair eles como amigos incentivando uma melhora na participação deles na escola”, conta.
Com o projeto Clube de Ciência, a estudante Letícia Silva, 16, acredita que pode incentivar o aprendizado de ciências e disciplinas relacionadas. “Posso ser um exemplo do Clube, porque não tinha nenhum interesse em Ciência, mas quando fui incentivada a participar mudei minha visão sobre o assunto e até fiquei mais motivada a estudar outras disciplinas. É uma experiência fantástica que pode ser implementada aqui sem sombra de dúvidas”, ressalta.
Conhecidos pela forte atuação na escola e na comunidade, o Grêmio Estudantil e os líderes de classe do Colégio Estadual Reitor Miguel Calmon, apresentaram ações realizadas na escola. “É importante sempre estarmos atuantes nas ações da escola e nos mobilizarmos para atrair a comunidade e os colegas para uma atuação mais ativa na unidade. Sempre propomos melhorias para a escola e, com certeza, essa troca de experiências nos traz um amadurecimento educacional muito grande”, explica o estudante Antônio Neto, 17, representante no Colegiado Escolar.
O encontro foi organizado pelas professoras Marta Caires, formadora do Ciência na Escola, e Milena Santos, coordenadora do Clube de Ciências. “O interessante é aproximar duas escolas distintas que podem realizar essa troca de experiências e mostrar que as ações realizadas pelos estudantes podem ultrapassar os muros, se tornando algo importante para outros colegas”, destaca a professora Marta. A professora Milena complementa: “Tenho certeza que sairemos com muitas ações positivas desta parceria, como a horta orgânica que já está sendo discutida para ser produzida no Colégio Estadual Reitor Miguel Calmon”.
GAC
O Grupo de Apoio e Conselhos, composto por um grupo de alunos de diferentes idades que, através do diálogo aberto com os colegas, encontram o caminho para mudar a realidade de toda a comunidade escolar no enfrentamento de questões como bullying, preconceito, baixa autoestima e outros, foi selecionado para participar, no mês de dezembro, em Pequim, na China, do Be The Change Conference. Representados pela estudante Rayssa Rodrigues, 12 anos, que cursa o 7° ano, e da educadora e idealizadora do projeto, Simone Bocaiuva, os participantes da conferência irão compartilhar projetos desenvolvidos em suas escolas e, também, participarão de oficinas, workshops e atividades culturais.

IAT promove Seminário Estadual de Educação Integral

O Instituto Anísio Teixeira (IAT) promove, nos dias 24 e 25/11, a 5ª edição do Seminário Estadual de Educação Integral, das 8h30 às 17 horas, no IAT, em Salvador. Realizado em parceria com o Comitê Territorial Baiano de Educação Integral Integrada (CTBEII), a atividade busca o fortalecimento das políticas de educação integral e o compromisso com a meta 6 do Plano Nacional de Educação, que é promover a oferta em, no mínimo, 50% das escolas públicas. As inscrições devem ser feitas até 18 de novembro.

O Seminário irá trazer debates sobre as estratégias e possibilidades de implantação da educação integral, além de buscar uma reflexão sobre o ensino público e a atual conjuntura política, com palestras, mesas-redondas que reunirá educadores, gestores escolares e estudantes e secretários municipais de educação. A programação conta com a participação da professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e da ex-diretora de Currículos e Educação Integral da Secretaria de Educação Básica no MEC, Jaqueline Moll, que vai debater o tema “Caminhos da Educação Integral no Brasil”.

“Esse Seminário é um momento para a discussão sobre escola de tempo integral e seus benefícios, que não conseguimos medir a importância, que acaba com a vulnerabilidade da criança e faz ela se ocupar com atividades, tornando-se um cidadão capacitado”, destacou o diretor-geral do IAT, Severiano Alves, que também preside o Fórum Estadual Permanente de Apoio à Formação Docente do Estado da Bahia (Forprof).

“Nosso objetivo é fazer uma reflexão sobre a garantia de mais oportunidades educativas e a melhoria da qualidade da educação pública. Também vamos ampliar a discussão sobre a atual realidade política e a perspectiva para a educação nos próximos anos. Tudo para entender como fica a qualificação do tempo da jornada ampliada nas escolas com a implantação do ensino integral”, explicou a articuladora CTBEII, Cláudia Cristina Santos.

Estudantes da Educação Profissional estudam potencial turístico de Macaúbas

Dentre tantas belezas naturais da Bahia, a Serra do Talhadão, localizada no povoado de Catolés, no município de Macaúbas (695 km de Salvador), reserva grandes surpresas. A falha geológica marcada por uma rica fauna e flora é um verdadeiro patrimônio paisagístico que está sendo estudada por estudantes do curso técnico em Turismo do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) da Bacia de Paramirim, em Macaúbas. A ação, que alia teoria e prática, contribui para a formação dos futuros profissionais, ampliando a percepção dos estudantes sobre o potencial que o mundo do trabalho na região oferece.

No rico ecossistema cercado por rochas, cachoeiras e até pinturas rupestres, os estudantes fazem registros em vídeo, fotos e anotações de todo o trajeto percorrido. A experiência, segundo os próprios estudantes, permitiu a eles uma maior compreensão sobre a importância da implementação de projetos de proteção ambiental. Além disso, eles contam que analisaram o Turismo de cunho ambiental e as políticas públicas voltadas à sustentabilidade socioambiental na região.  

Tem sido um projeto muito interessante. Percebemos as riquezas, os potenciais turísticos da região a partir do trabalho teórico que construímos em sala de aula. A experiência também nos fez refletir sobre o papel do profissional de Turismo, bem como nos trouxe mais consciência sobre a necessidade da proteção ambiental e nos fez ver o potencial a ser explorado no Território da Bacia do Paramirim”, descreve o estudante Jorge Luís Souza, 17 anos, 1º ano do curso técnico de Turismo, completando que a visita técnica proporciona, ainda, a identificação do valor patrimonial da flora silvestre, que está situada em uma das poucas áreas de transição entre o Cerrado e a Caatinga habitáveis.

A colega Lílian Meira, 26 anos, revela o seu encantamento pelos recursos naturais da região onde nasceu e reside, mas que ainda não conhecia. “Fiquei muito surpresa com a beleza da região e, ao adquirir conhecimento sobre o seu valor turístico, penso que é urgente a implementação de projetos de preservação desse patrimônio, que irá gerar emprego e renda para a região”, considera.

 

As aulas de campo são orientadas pelo professor e historiador Mariel Araújo e acontecem de forma articulada com atividades realizadas em sala de aula. “Buscamos garimpar os pontos de turismo ecológico e de aventura e, sobretudo, incentivar os alunos no reconhecimento das práticas de atuação na área do Turismo, sob diversas perspectivas. Os estudantes irão, também, produzir um roteiro turístico-cultural da região de Macaúbas, a ser publicado e divulgado para a comunidade do município”, afirma.

 

Professor usa esporte para mudar realidade dos estudantes.

Inquieto com o baixo rendimento de alguns estudantes e disposto a mudar esta realidade, o professor Rui Cesar Cerqueira, diretor do Colégio Estadual Barros Barreto, localizado no Subúrbio Ferroviário de Salvador, e faixa-preta de Karatê, criou, em 2000, o projeto Arte – Educação: o Karatê na Escola. O projeto, que inicialmente contou com a participação de 16 estudantes, cresceu e hoje vem contribuindo para a formação cidadã dos estudantes da unidade e de pessoas da comunidade. Rui é um dos homenageados no mês em que se celebra o Dia do Professor (15 de outubro).

Através das artes marciais o gestor está conseguindo, durante esses 16 anos de atuação do projeto, a inclusão social por meio do esporte, além do bom desempenho escolar dos estudantes. As aulas são realizadas de segunda a sexta-feira, na própria unidade escolar e, cada vez mais, vem ganhando participantes da comunidade do bairro de Paripe. As atividades também são abertas para portadores de necessidades especiais, como cadeirantes e autistas.
Cristian dos Santos, 18, do 3º ano do Ensino Médio, conta da admiração que tem pelo professor e de como o esporte mudou a sua vida. “Depois que comecei a praticar o karatê, a minha vida se transformou. Tornei-me mais disciplinado, dedicado aos estudos, mais parceiro dos meus colegas de classe. Até a relação com a minha família está melhor. Karatê para mim é uma filosofia de vida, e o professor Rui é um grande incentivador e amigo de todos nós. Só tenho a agradecer a ele por esta iniciativa”, declara.
O ex-aluno do colégio e faixa preta, Heraldo Gonçalves, 41 anos, participante do projeto desde 2002, ajuda outros jovens a acreditarem nos seus sonhos. “O projeto representa um poder de transformação na minha vida, pois contribuiu muito para a minha formação enquanto cidadão. Quero muito essa mudança na vida dos meus colegas”, revela o atleta.
Além das aulas de karatê, são realizados momentos de discussão em grupo sobre valores como caráter, solidariedade e respeito. “Peço para ver os boletins, quero saber como está o desempenho escolar de cada um, a relação com os outros professores, em casa e na comunidade. É uma troca de energia muito boa e os resultados estão me deixando satisfeito. A minha proposta é torná-los melhores a cada dia”, comemora o professor Rui César.

Estudantes da Educação Especial participam da Semana do Servidor

Como parte das comemorações pelo Dia do Servidor (28), estudantes de capoeira do Instituto de Organização Neurológica (ION) e alunos do recital de música do Instituto de Cegos da Bahia, parceiros da Secretaria da Educação do Estado, realizaram, nesta quarta-feira (26), apresentação no auditório da sede. O objetivo foi apresentar os trabalhos realizados nas instituições e aproximar funcionários e estudantes da Educação Especial em um momento de integração e inclusão.
A coordenadora da Educação Especial, Patrícia Silva, da Secretaria da Educação, destacou a importância da realização da atividade. “É essencial estarmos trazendo para os colegas da secretaria o trabalho realizado com os alunos especiais, e mostrar a importância de promover a autoestima deles, como forma de resgatar a cidadania”, ressaltou.
A servidora Silvia Santana, que participou da apresentação de capoeira, contou que a atividade foi bastante divertida. “Foi interessante perceber a capacidade que eles têm em executar as atividades. Pude aprender sobre capoeira e também gostei muito da apresentação de música, com jovens bem talentosas”, afirmou.
Compondo o grupo de capoeira, Caio Monteiro, 17 anos, falou que o esporte foi um grande incentivo para mudar a sua vida. “Estou praticando há 11 anos por apoio do meu pai, então fico muito feliz de poder mostrar o meu conhecimento neste evento”, disse. Já Ângela de Jesus, 34, que cantou ‘Quando Te Vi’, de Beto Guedes, e a versão ‘Dom Real’, de Melissa, afirmou “que a música sempre me acompanhou e, para mim, é como remédio, cura todos os problemas”.