Programa Partiu Estágio beneficia mais 1.215 universitários na Bahia

Um total de 1.215 estudantes de universidades terão a oportunidade de vivenciar a rotina de trabalho de suas respectivas profissões por meio do programa Partiu Estágio, do Governo do Estado. Nesta terça-feira (9), foi realizada a assinatura de contrato dos estudantes, com a presença do governador Rui Costa, no auditório do Senai Cimatec, em Salvador. Os selecionados pelo Edital 01 de 2019 do Partiu Estágio são estudantes de faculdades e universidades estaduais, federais ou privadas com sede na Bahia e que ainda não conseguiram inserção no mercado de trabalho. Eles farão estágio em secretarias e órgãos do Governo do Estado e receberão uma bolsa-estágio no valor de R$ 445, auxílio-transporte e, também, terão direito a 30 dias de recesso remunerado proporcional.

Assinatura Partiu Estágio - foto. Emerson Santos (2)

 “O grande destaque do Partiu Estágio é por ele oferecer oportunidade de forma igualitária aos inscritos e pelo cunho social. Estágio sempre existiu no Estado. Isso não é novidade. Mas, antes, o ingresso dos estagiários era definido por cada órgão e secretaria. E o método, geralmente, acabava sendo por relacionamento. O Partiu Estágio veio para mudar essa realidade, com um processo único de acesso, realizado com transparência pela internet e, o mais importante, priorizando os que vêm de escolas públicas, garantindo oportunidade para os que mais precisam”, destacou o governador Rui Costa, idealizador do programa.

O subsecretário da Educação, Danilo Souza, que esteve no evento representando o secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou sobre a importância do programa. “O programa Partiu Estágio é uma oportunidade dos jovens partilharem conhecimentos e saberes e esta é uma demonstração de que o governo acredita nos jovens da Bahia e que eles não são o futuro e, sim, o presente, pois são capazes de implementar mudanças importantes e construir soluções, dentre outras também para a Educação da Bahia”, destacou.

Para o estudante do curso de Letras da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Edilberto Tourinho Junior, 30, o estágio na área vai agregar muito em seu currículo. “Sei que esta vai ser uma experiência muito marcante, pois é fundamental a prática justamente no ambiente de trabalho, visto que na universidade temos acesso a muito conhecimento teórico e o estágio é essencial para a nossa formação”, destacou o universitário, que vai estagiar na Bahiatursa.

Alana Santos de Souza, 23, que estuda Relações Internacionais na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), em São Francisco do Conde, está ansiosa para começar a estagiar. “O Partiu Estágio é justamente uma possibilidade da gente se integrar no mercado de trabalho e vou estagiar na Bahiatursa, no setor de atendimento ao turista, que casa muito bem com o meu curso, porque vou poder lidar com pessoas de diferentes culturas”, comemorou.

Quem também está na maior expectativa para estagiar no Hospital Geral do Estado (HGE) é Elda Gomes Santos, 38, que faz o último ano do curso de Enfermagem da UNIFACS, em Salvador. “Já havia estagiado de forma voluntária em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e a, agora, estou muito feliz, pois vou estagiar de forma remunerada em um hospital de grande porte, no setor de gestão, que é uma área que gosto muito”, revelou.

Reforço Escolar – Uma das novidades do Programa Partiu Estágio neste ano, foi o lançamento do Partiu Estágio do Reforço Escolar para que atuem auxiliando professores e coordenadores pedagógicos no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes das escolas estaduais. Estão sendo ofertadas 4.390 vagas aos universitários dos cursos de Educação Física, Letras Vernáculas e Matemática, distribuídas em todo o Estado. Outra novidade para este edital é que poderão se inscrever alunos na modalidade Educação à Distância (EAD), desde que a instituição possua polo na Bahia. As inscrições podem ser feitas até esta terça-feira (9), pelo Portal da Educação (www.educação.ba.gov.br).

 

 Foto: Emerson Santos

Municípios baianos podem aderir ao Programa Crescer Saudável para o enfrentamento à obesidade infantil

Os municípios baianos que participam do Programa Saúde na Escola (PSE) poderão aderir, até o dia 12 de abril, o Programa Crescer Saudável, para o biênio 2019/2020. O Programa consiste em um conjunto de ações a serem implementadas no âmbito do PSE, com o objetivo de contribuir com a prevenção, o controle e o tratamento da obesidade infantil.

400x200.1

Os municípios que aderirem ao programa receberão incentivos financeiros para realizar ações de vigilância nutricional; promoção da alimentação adequada e saudável; incentivo às práticas corporais e de atividade física; e ações voltadas para oferta de cuidados para as crianças que apresentam obesidade. A adesão pode ser realizada através do módulo do PSE, no portal e-Gestor da Atenção Básica, no endereço: (http://dab.saude.gov.br/portaldab/noticias.php?conteudo=_&cod=5394).

Segundo o coordenador de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação do Estado, Fabio Barbosa, a adesão reforçará as ações de prevenção à saúde já executadas pelo PSE. “Os municípios deverão atingir as metas a partir de ações como avaliação do estado nutricional dos estudantes; da oferta de atividades coletivas de promoção da alimentação adequada e saudável; e da oferta de atividades coletivas de promoção das práticas corporais e atividades físicas, além de atender aos estudantes identificados com obesidade através de intervenção e cuidado na rede de atenção à saúde do município. Assim, todas as ações visam contribuir para o desenvolvimento integral dos estudantes, sendo fundamental que os municípios baianos façam a adesão e, principalmente, implementem as ações nas unidades escolares”, afirmou.

Adesão ao PSE – Este ano, o Programa Saúde na Escola chegou a 100% de adesão dos municípios baianos, ou seja, as 417 cidades do Estado aderiram ao programa nacional que, na Bahia, é realizado pela Secretaria da Educação do Estado (SEC), em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado (SESAB), com duração de 24 meses e contempla as escolas públicas do município, independentemente da esfera administrativa (estadual, municipal e/ou federal). O objetivo principal do programa é a atenção integral à saúde dos educandos da rede pública, através de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde de forma a empoderá-los para o reconhecimento e, consequentemente, o enfrentamento das situações que os tornam vulneráveis e que possam vir a comprometer o seu pleno desenvolvimento.
Foto: Ilustrativa

Inscrições para o Partiu Estágio do Reforço Escolar terminam nesta terça feira (09)

Terminam nesta terça-feira (09) as inscrições para o Partiu Estágio do Reforço Escolar. O programa é uma iniciativa do Governo do Estado com o objetivo de proporcionar o estágio para os estudantes universitários de instituições com sede na Bahia e que ainda não conseguiram inserção no mercado de trabalho. Este ano, estão sendo ofertadas 4.390 vagas aos universitários dos cursos de Educação Física, Letras Vernáculas e Matemática, distribuídas em todo o Estado, com foco no reforço escolar para a rede estadual de ensino. A novidade para este edital é que poderão se inscrever alunos na modalidade Educação à Distância (EAD), desde que a instituição possua polo na Bahia. As inscrições podem ser feitas pelo Portal da Educação (www.educação.ba.gov.br).

Partiu Estagio - Leila Ramos

Para participar do Partiu Estágio é necessário que o candidato tenha idade mínima de 16 anos e cumprido mais de 50% da graduação. Desde o lançamento do programa, em abril de 2017, mais de 6,5 mil universitários já foram contratados para atuar no serviço público baiano nas diferentes áreas, incluindo a Educação. O contrato de estágio tem duração de um ano, sem possibilidade de prorrogação, exceto para estudante com deficiência física. A carga horária é de quatro horas diárias de atividades supervisionadas, chegando a 20 horas semanais, distribuídas de acordo com a necessidade da administração pública. O estagiário tem direito a uma bolsa mensal de R$ 455, auxilio transporte e 30 dias de recesso remunerado, proporcionais.

 

O Partiu Estágio é prioritário para alunos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e para aqueles que tenham estudado todo o Ensino Médio em escola pública ou com bolsa integral na rede privada. Do percentual de vagas ofertadas em cada edital, 10% são direcionadas pessoas com deficiência física, como é previsto pela Lei nº 11.788/2008. Quem já participou do Partiu Estágio durante período de um ano não poderá se inscrever novamente, como previsto em edital. A lista completa das oportunidades de estágio na rede estadual estará disponível no sistema de inscrição do Partiu Estágio.

 

Sobre a inscrição – Os candidatos que estão participando pela primeira vez devem acessar o site do Partiu Estágio e criar uma conta, informando CPF, nome, data de nascimento e e-mail válido. O sistema enviará, automaticamente, para o e-mail cadastrado os dados para acesso a inscrição. De posse dos dados para acesso, o candidato deverá preencher os dados cadastrais no site de inscrição e, posteriormente, selecionar seu curso e o turno das aulas, além do município onde estuda ou reside. Caso já tenha se inscrito em editais anteriores, o candidato deve acessar a conta já existente e realizar o mesmo procedimento.

 

Documentação – A documentação necessária para a inscrição é a seguinte: comprovante de residência; original e cópia da Carteira de Identidade; original e cópia do Cadastro de Pessoa Física (CPF); original e cópia de Carteira de Identidade do representante legal ou do Termo de Guarda expedida por autoridade judicial, se for o caso; declaração da Instituição de Ensino informando semestre letivo, duração do curso, percentual cursado, turno de estudo, curso de formação e sua modalidade presencial; comprovante de matrícula e frequência da Instituição de Ensino; declaração própria de que não exerce atividade remunerada em órgão público; original e cópia do Título de Eleitor, se for o caso; original e cópia do Certificado de Reservista, se for o caso; Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS); e comprovação de inscrição no CadÚnico, se for o caso.

 

 

Foto: Divulgação

Estudantes realizam votação eletrônica para líderes de classe na rede estadual

A inovação tecnológica no processo eleitoral está em expansão nas escolas da rede estadual de ensino. Por meio do projeto e-Nova Educação, da Secretaria da Educação do Estado, que utiliza chromebook para uso de conteúdos digitais educacionais em salas de aula, os alunos participaram da votação para líderes de classe, que está sendo realizada nas escolas estaduais desde a semana passada. Foi assim, por exemplo, no Colégio Estadual Alfredo Dutra, no município de Itapetinga, cuja divulgação dos resultados se deu no mesmo dia.

 Eleição de líder de classe no col. Alfredo Dutra em Itapetinga -divulgação (3)

O coordenador pedagógico do Alfredo Dutra, Carlos Eduardo Cruz, contou como aconteceu a eleição por voto eletrônico. “No ano passado, usamos só os tabletes, mas este ano já utilizamos os chromebook, graças ao curso sobre novas tecnologias que a Secretaria da Educação ofertou para os professores. Foi interessante porque, como temos Educação Profissional, alguns alunos do curso atuaram como monitores para a construção do processo informatizado da eleição, junto a mim. Realizamos uma votação rápida e prática e o resultado foi on-line, o que causou encantamento a todos”, relatou.

Protagonismo - Uma das 25 líderes de classe eleitas (outros 25 foram eleitos para vice-líder), a estudante Daniela de Almeida dos Santos, 16, 3º ano do Alfredo Dutra, falou da sua motivação para assumir a missão. “Já fui líder de classe por três vezes e acredito que já nasci com esse espírito de liderança. Gosto de contribuir com os colegas para que a escola seja a melhor possível e que o diálogo com a gestão seja cada vez mais facilitado. Espero que a minha atuação seja ainda melhor desta vez, já que trago uma certa experiência como líder de classe”.

Eleita líder de classe no Centro Educacional Monteiro Lobato, no município de Firmino Alves, a estudante Laiza Farias, 16, 2º ano, contou seus planos para a sua gestão. “Quero ser bastante representativa porque os colegas depositaram confiança em mim. Meu papel é contribuir com o diálogo entre estudantes e diretoria para que, juntos, possamos melhorar ainda mais a nossa escola. Minha ideia é que a cada unidade os alunos façam uma avaliação sobre assuntos voltados à nossa vida escolar para que eu possa levar para os gestores”.

O representante estudantil do Colegiado Escolar da Monteiro Lobato, Pedro Souza, 16, 3º ano, completou: “Já fui líder de classe, portanto quero, na minha atual função, ajudar na construção do processo de fortalecimento do protagonismo estudantil. É gratificante para mim contribuir para a formação de novos líderes estudantis que irão ajudar a melhorar ainda mais a nossa escola por meio de projetos que tragam ganhos para a nossa Educação”.

Eleição de líder de classe no col. Alfredo Dutra em Itapetinga -divulgação (1)

Sobre as eleições de líderes de classe – A eleição de líderes de classe ação é uma iniciativa da Secretaria da Educação do Estado, dentro do programa Educar para Transformar, com o objetivo de promover o empoderamento juvenil, a partir do seu envolvimento nas atividades e projetos escolares, contribuindo, assim, para a gestão democrática e participativa das unidades. Os estudantes eleitos nas funções de líder e vice-líder de classe serão os interlocutores da turma junto à comunidade escolar, articulando e propondo melhorias para a unidade de ensino. Representar o interesse coletivo, identificando as necessidades da classe; elaborar um Plano de Ação relativo à melhoria do processo de ensino e aprendizagem; e estimular o bom relacionamento da classe, por meio de diálogo, são algumas competências dos líderes.

 

Fotos: Divulgação

 

Inscrições para o Partiu Estágio com foco no Reforço Escolar seguem até o dia 9 de abril

As inscrições para o programa Partiu Estágio seguem até o dia 9 de abril, e podem ser feitas pelo Portal da Educação (www.educação.ba.gov.br). O programa é uma iniciativa do Governo do Estado com o objetivo de proporcionar o estágio para os estudantes universitários de instituições com sede na Bahia e que ainda não conseguiram inserção no mercado de trabalho. Este ano, estão sendo ofertadas 4.390 vagas aos universitários dos cursos de Educação Física, Letras Vernáculas e Matemática, distribuídas em todo o Estado, com foco no reforço escolar para a rede estadual de ensino. A novidade para este edital é que poderão se inscrever alunos na modalidade Educação à Distância (EAD), desde que a instituição possua polo na Bahia.

 

Contemplada pelo programa, no ano passado, Flávia Araújo Santos, 21, estudante do último semestre de Direito, na Faculdade Maurício de Nassau, fala de sua experiência com o Partiu Estágio, por meio do qual estagia no setor de Corregedoria da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. “Está sendo um aprendizado muito importante. Pena que o estágio já vai acabar em maio, depois de um ano de expansão de aprendizagens nas áreas de disciplina, ética e moral, que levarei para a minha vida profissional. Trabalho, aqui, com processos administrativos. Então, faço os relatórios, que são validados pelo expedidor que, em seguida, os encaminha para o corregedor. Ao longo desse tempo, ganhei mais confiança sobre as questões que envolvem a minha área e isto é fundamental para um advogado”, relata a universitária.

Flavia Araujo - Foto. Geraldo Carvalho (5)

Como participar - Para participar do Partiu Estágio é necessário que o candidato tenha idade mínima de 16 anos e cumprido mais de 50% da graduação. Desde o lançamento do programa, em abril de 2017, mais de 6,5 mil universitários já foram contratados para atuar no serviço público baiano nas diferentes áreas, incluindo a Educação. O contrato de estágio tem duração de um ano, sem possibilidade de prorrogação, exceto para estudante com deficiência física. A carga horária é de quatro horas diárias de atividades supervisionadas, chegando a 20 horas semanais, distribuídas de acordo com a necessidade da administração pública. O estagiário tem direito a uma bolsa mensal de R$ 455, auxilio transporte e 30 dias de recesso remunerado, proporcionais.

O Partiu Estágio é prioritário para alunos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e para aqueles que tenham estudado todo o Ensino Médio em escola pública ou com bolsa integral na rede privada. Do percentual de vagas ofertadas em cada edital, 10% são direcionadas pessoas com deficiência física, como é previsto pela Lei nº 11.788/2008. Quem já participou do Partiu Estágio durante período de um ano não poderá se inscrever novamente, como previsto em edital. A lista completa das oportunidades de estágio na rede estadual estará disponível no sistema de inscrição do Partiu Estágio.

Sobre a inscrição – Os candidatos que estão participando pela primeira vez devem acessar o site do Partiu Estágio e criar uma conta, informando CPF, nome, data de nascimento e e-mail válido. O sistema enviará, automaticamente, para o e-mail cadastrado os dados para acesso a inscrição. De posse dos dados para acesso, o candidato deverá preencher os dados cadastrais no site de inscrição e, posteriormente, selecionar seu curso e o turno das aulas, além do município onde estuda ou reside. Caso já tenha se inscrito em editais anteriores, o candidato deve acessar a conta já existente e realizar o mesmo procedimento.

Documentação – A documentação necessária para a inscrição é a seguinte: comprovante de residência; original e cópia da Carteira de Identidade; original e cópia do Cadastro de Pessoa Física (CPF); original e cópia de Carteira de Identidade do representante legal ou do Termo de Guarda expedida por autoridade judicial, se for o caso; declaração da Instituição de Ensino informando semestre letivo, duração do curso, percentual cursado, turno de estudo, curso de formação e sua modalidade presencial; comprovante de matrícula e frequência da Instituição de Ensino; declaração própria de que não exerce atividade remunerada em órgão público; original e cópia do Título de Eleitor, se for o caso; original e cópia do Certificado de Reservista, se for o caso; Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS); e comprovação de inscrição no CadÚnico, se for o caso.

 

Foto: Geraldo Carvalho

Secretaria da Educação do Estado discute com a UFBA parceria para o fortalecimento da aprendizagem

O fortalecimento da aprendizagem a partir de ações integradas com a Universidade Federal da Bahia (UFBA) pautou a reunião, na última quinta-feira (28), entre o secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, e o reitor da UFBA, João Calos Salles. No encontro, realizado na reitoria da universidade, no bairro do Canela, em Salvador, foi discutido como a UFBA pode contribuir para o Plano Político Pedagógico da rede estadual de ensino.

Reunião com o reitor da UFBA João Carlos Salles (5)

O secretário Jerônimo Rodrigues falou que a SEC está estreitando o diálogo com as diversas instituições de Ensino Superior da Bahia e falou sobre o papel da UFBA neste contexto. “Temos um grande orgulho da rede de Educação Superior da Bahia, formada por seis unidades federais, dois institutos federais e quatro unidades estaduais. É uma cobertura relativamente significativa, porém queremos ampliar essa atuação com parcerias que incluam os jovens no Ensino Superior. Também contamos com o papel histórico das universidades na formação de professores, além do legado que existe a partir da superação da inclusão, através dos nossos estudantes quilombolas, indígenas pobres, mulheres, que estão gradualmente ocupando mais espaços”, destacou.

Jerônimo disse que as instituições de Ensino Superior têm muito do que contribuir com a Educação Básica. “Nós não podemos ficar distantes da universidade, por isso esta visita é simbólica, no sentido de dialogar com todos os reitores. Iniciamos esta proposta quando o governador Rui Costa se reuniu com o Fórum dos Reitores, discutindo pautas específicas das instituições. Agora, já estamos tendo reuniões com as universidades estaduais pensando em um projeto para formação de professores. Então, estamos formando um conceito sobre o lugar das universidades no Plano Político Pedagógico da Educação na Bahia”, ressaltou.

Na oportunidade, o reitor João Carlos Salles ressaltou que a reunião aprofunda uma relação já existente entre as duas instituições. “Este é um passo que propicia uma relação mais sólida e estreita entre todas as universidades públicas, visando projetos fundamentais para o desenvolvimento do Estado e para o fortalecimento e qualidade da Educação Básica. Por isso, a ideia é compartilhar espaço, saber e experiências, utilizando nossos recursos, juntos, em prol da educação”, disse.

Participaram da reunião o subsecretário da Educação do Estado, Danilo Souza, o coordenador Executivo de Projetos Estratégicos da SEC, Marcius Gomes, a diretora Geral do Instituto Anísio Teixeira (IAT), órgão ligado à SEC, Cybele Amado, e o pró-reitor de Ensino da Graduação, Penildo Silva Filho.
Foto: Suami Dias

CNPq concede bolsas de iniciação científica a estudantes do Ciência na Escola

Visita e palestra do Sub secretario Danilo a Febrace (34)

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (ICJ/CNPq) concedeu, na quarta-feira (27), 20 bolsas de iniciação científica para estudantes da rede estadual de ensino, durante a Mostra da Feira de Ciências, Empreendedorismo e Matemática da Bahia (FECIBA), que está sendo promovido pela Secretaria da Educação do Estado (SEC), no Instituto Anísio Teixeira (IAT). As bolsas irão contribuir para que os estudantes ampliem os projetos de iniciação científica, que estão sendo realizados no âmbito do projeto Ciência na Escola e que foram escolhidos pelo grande alcance e relevância social.

O subsecretário Danilo Souza, que representou o secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, na atividade, falou sobre a vinculação dos projetos com a realidade dos estudantes e com os locais onde eles vivem. “Chego aqui e tomo um banho de criatividade, beleza e sensibilidade dos nossos estudantes. É uma energia criativa incrível.  Estou muito orgulhoso do potencial dessa juventude e de seus educadores. Podemos ver que a Ciências é mesmo um elemento importante para a construção da escola cidadã. As feiras de Ciência, a ideia de empreendedorismo e as soluções que esses jovens encontram para os problemas locais de forma contextualizada me chamaram muito a atenção. Não é a pesquisa pela pesquisa ou o exercício de um método científico, mas principalmente o pensar a sua comunidade, os problemas que ela tem e a solução prática. Isso é a grande marca do que vi nos experimentos”.

Empolgados com a possibilidade de aprimorarem seus trabalhos, os estudantes selecionados à bolsa oferecida pelo CNPq falaram sobre seus planos futuros. Uma das contempladas, Amanda Suiane Souza, 16, do Colégio Estadual Getúlio Vargas, no município de Casa Nova, falou sobre o seu contentamento com a oportunidade de dar seguimento ao projeto Pomada cicatrizante da casca de jurema. “Estou muito feliz por este reconhecimento e vai ser uma chance de aprimorarmos mais o nosso trabalho, que considero relevante, especialmente para a população diabética, que tem dificuldade na cicatrização de feridas por conta da doença. Então, nosso objetivo, a partir de agora, será potencializar a comercialização da pomada”, comemora a estudante, autora do trabalho junto ao colega Ícaro da Silva.

O estudante Nicássio dos Reis, que junto com o colega Andérson da Silva, protagonizou o projeto “Caminhão bombeiro”, também falou da sua alegria de ter tido o seu trabalho premiado, idealizado para contribuir no combate de incêndios na cidade, na ausência do corpo de bombeiro. “Com esta bolsa, acredito que vamos poder incrementar o nosso caminhão, que tem um sistema eletrônico inovador e eficaz. Queremos avançar tecnologicamente o nosso projeto e poder instalá-lo em várias cidades”, planeja.

 

Outras atividades – Dentro da programação do último dia da mostra do Ciência na Escola, professores e estudantes participaram das oficinas de formação do Instituto Alana e do Museu Virtual da Bata do Feijão. Membro do Alana, André Gravatá explicou que o instituto paulista atua com o intuito de fortalecer, no Brasil, uma rede de pessoas que cuidem da Educação com um novo olhar, dando visibilidade para ações protagonizadas por crianças e jovens que estão transformando as suas realidades. “O Criativos na Escola, um dos nossos programas, é conectado à prática do protagonismo juvenil e, em parceria com a SEC, por meio do Ciência na Escola, promove formações e conta a histórias de trabalhos interessantes, como é o caso do projeto ‘Da Escola para o Mundo’, do Colégio Estadual Deputado Eduardo Magalhães, em Alagoinhas”.

A professora orientadora do referido projeto, Lourdes Ramos, fala sobre a importância do trabalho que vem sendo realizado na unidade escolar há dois anos.  “Fomos premiados pelo Criativos na Escola, do Instituto Alana, e quando isto aconteceu foi um divisor de águas na nossa escola. O ‘Da Escola para o mundo’ teve como objetivo melhorar a autoestima dos alunos. Para isto, abrimos a escola nos sábados e domingos e começamos a realizar atividades de autoconhecimento, dinâmicas de entrosamento e desafios. O resultado é que, hoje, temos uma comunidade escolar com a autoestima elevada e um grupo de pesquisa formado por estudantes”, relatou a educadora.

Ministrada pelo professor da rede estadual e pesquisador da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), Erisvaldo Souza, a oficina do Museu Virtual da Bata do Feijão trouxe para os participantes o ritual da bata do feijão (retirada da casca), feita por comunidades rurais de Feira de Santana. “Estamos com uma proposta de criar soluções pedagógicas, com o auxílio da tecnologia digital, para preservar, difundir e conservar as práticas sociais das comunidades. Começamos com a Bata do Feijão, na região de Feira, que é uma prática historicamente primitiva na qual as pessoas fazem uma cerimônia para agradecer ao divino pela colheita. Tudo isto estava se perdendo. Daí criamos o museu virtual da Bata do Feijão (museuvirtualdabatadofeijao.com.br) e aqui mostramos aos professores como esta ferramenta tecnológica pode ser usada para auxiliar sua prática pedagógica, de forma transversal”.

Relação de projetos contemplados com bolsa de Iniciação Científica Júnior do CNPq

 

Projeto: DEUSES DO OLIMPO

Professora orientadora: Tânia dos Santos

Estudantes: Wilianda Gomes e Gabriel Barreto

Unidade: CETEP – Alagoinhas – NTE 18

 

Projeto: COMO NOSSO BERIMBAU COMEÇOU A TOCAR

Professora orientadora: Elizabeth Silva e Núbia Letícia

Estudantes: Isla Lima e Mirella Silva

Unidade: Colégio Estadual Domingos Barros de Azevedo – Conceição de Jacuípe

 

Projeto: OLÉO DE LICURI: UMA ALTERNATIVA BARATA E SUSTENTÁVEL

Professora orientadora: Clediane Amorim

Estudantes: Jefferson Santos e Maiara Couto

Unidade: Colégio Estadual Lauro Farani – Itaberaba

 

Projeto: POMADA CICATRIZANTE DA CASCA DA JUREMA PRETA

Professora orientadora: Iraneide Gomes

Estudantes: Amanda Suiane Souza e Ícaro da Silva

Unidade: Colégio Estadual Getúlio Vargas – Casa Nova

 

Projeto: REPENSANDO O JARDIM DOS ORIXÁS

Professora orientadora: Cecília de Oliveira

Estudantes: Israel dos Santos; Cássia Silva e Helen Maciel

Unidade: Colégio Estadual João Durval Carneiro – São Gabriel/Irecê

 

Projeto: LEVANTAMENTO PRELIMINAR DE BORBOLETAS DO DISTRITO DE IBITIRA – RIO ANTÔNIO

Professora orientadora: Lucineide Vieira

Estudantes: Amanda Moreira e Márcia Barbosa

Unidade: Colégio Estadual Professora Lia Publio Castro – Caetité

 

Projeto: CANUDOS EM VERSOS

Professora orientadora: Maria Betânia de Carvalho

Estudantes: Anny Varjão e Evani Oliveira

Unidade: Colégio Estadual Luís Cabral – Canudos

 

Projeto: FEIRA LIVRE DE ITABERABA MANEJO, HIGIENE E PROFILAXIA DOS ALIMENTOS

Professor orientador: Alessandro dos Santos

Estudante: Ana Rita Santana

Unidade: CETEP – Itaberaba

 

Projeto: RAÇÃO DE BAIXO CUSTO PARA CÃES ABANDONADOS EM CASA NOVA

Professora orientadora: Andrea Castro

Estudantes: Emily Pereira da Conceição e Íris Silva

Unidade: Centro Educacional Antonio Honorato – Casa Nova

 

Projeto: CAMINHÃO BOMBEIRO

Professora orientadora: Maria Aparecida Conceição Nunes

Estudantes: Nicássio dos Reis e Andérson da Silva

Unidade: Escola Estadual Maria José de Lima Silveira

 

Projeto: PROTAGONISMO ESTUDANTIL NO CONTROLE DO MOSQUITO AEDES AEGYPTI

Professor orientador: Rodrigo Oliveira

Estudantes: Mailla Silva e Beatriz Almeida

Unidade: Colégio Estadual Professor Carlos Valada – Feira de Santana

 

Foto: Claudionor Jr

Estudantes e professores da rede estadual participam de oficinas sobre Educação Científica

Esta semana está sendo de troca de experiências e muito aprendizado para os estudantes participantes da Mostra da Feira de Ciências, Empreendedorismo e Matemática da Bahia (FECIBA), que está sendo promovida pela Secretaria da Educação do Estado (SEC), de segunda (25) a quarta-feira (27), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. Além de apresentar seus projetos de iniciação científica, no âmbito do Ciência na Escola, eles também estão participando de oficinas com instituições parceiras como a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Instituto Alana, Instituto Paramitas e Atina Educação. A atividade voltada à Educação Científica também contempla educadores da rede estadual de ensino.

Feciba , Feira de Ciencias - Nicassio Reis e Andersson Silva -  Foto. Claudionor Jr (1)

O coordenador executivo de projetos estratégicos da SEC, Marcius Gomes, que representou o secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, no evento, falou sobre a importância da mostra e do Programa Ciência na Escola. “O Programa Ciência na Escola é uma das experiências mais exitosas da Secretaria, que faz com que o estudante, a partir da pesquisa e da iniciação científica, possa se apropriar do seu território e comunidade e, a partir disso, desenvolver o conhecimento. Então, a gente reconhece que este espaço precisa ser potencializado com as políticas públicas educacionais do Estado e esta mostra é de suma importância para o aprendizado dos estudantes”, afirmou.

Nicassio Ferreira dos Reis, 17, 1º ano, do Colégio Estadual São Joaquim, localizado em Sobradinho, disse que está aproveitando ao máximo as oficinas. “Ontem eu participei de uma oficina de Robótica e o conhecimento obtido vai servir para aprimorar ainda mais meu projeto ‘caminhão bombeiro’, que desenvolvi com o meu colega Anderson Galdino. Vamos participar de outras oficinas que estão programadas para amanhã”, revelou o estudante.

O educador do Instituto Alana, André Gravatá, ministrou uma oficina sobre o projeto ‘Criativos da escola’, que é desenvolvido pelo próprio instituto. “A oficina teve o objetivo de fortalecer o protagonismo juvenil e as relações entre os jovens, a partir de jogos cooperativos e atividades que possam despertar neles essa vontade de estar perto e de continuar criando e desenvolvendo suas ideias”, explicou.

Nesta terça-feira também foram realizadas duas oficinas específicas para os professores orientadores: ‘Ciência na Escola e IDEB: que relação é essa’, realizada pela SEC e ‘MapBiomas, ministrada por educadores da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Outro destaque foi a oficina #EmpreendedorpormeiodoAPP, que foi realizada pelo Instituto Paramitas com os estudantes.

Programação – Em paralelo às apresentações dos projetos nos estandes, nesta quarta-feira (27), das 8h às 11h, alguns alunos e professores participarão, de forma coletiva, de uma formação com o Instituto Alana. Já das 11h às 13h, o Instituto Alana fará outra oficina especialmente para os estudantes.

 

Foto: Claudionor Jr

Secretaria da Educação do Estado apresenta Plano Político Pedagógico em audiência pública na Assembleia Legislativa

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) apresentou, nesta terça-feira (26), o Plano Político Pedagógico para a Educação da Bahia em audiência pública, na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), em Salvador. Promovida pela Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia e Serviço Público da ALBA, a iniciativa também proporcionou o diálogo com os participantes.

WhatsApp Image 2019-03-26 at 13.48.44

O subsecretário da Educação do Estado, Danilo Souza, que representou o secretário Jerônimo Rodrigues, falou que o Estado está buscando parcerias com os diversos segmentos da sociedade, na perspectiva de fortalecer o regime de colaboração visando à melhoria da aprendizagem dos estudantes. Segundo ele, este processo de diálogo e de escuta realizado na ALBA é fundamental.  “A apresentação mostrou um conjunto de informações sobre as políticas de avaliação, monitoramento e fortalecimento da qualidade da Educação na Bahia que estamos construindo na Secretaria da Educação. A proposta, também, foi ouvir as contribuições importantes da Comissão, para continuarmos os debates pela melhoria da Educação Básica e do Ensino Superior”, destacou.

O subsecretário Danilo Melo ressaltou, ainda, pontos importantes no planejamento, dentre os quais a formação continuada dos educadores. “Estamos em um processo de  retomada de uma política forte de formação continuada, buscando suprir os déficits culturais e cognitivos das crianças das nossas escolas. Também estamos focados em um sistema robusto de avaliação, que possa assegurar continuamente o acompanhamento da qualidade e as intervenções necessárias, em tempo real, para que a escola seja, cada dia mais, um instrumento de inclusão. Além disso, buscamos  dialogar com os municípios para que possamos avançar no Ensino Fundamental e, lá na ponta, na Educação Infantil, com um regime de colaboração sólido, para um intercâmbio mais intenso, porque a Educação é do povo, desde a creche até a pós-graduação, e isto é uma prioridade para o Governo do Estado”, contou.

A presidente da Comissão de Educação, a deputada estadual Fabíola Mansur, falou sobre a audiência. “Estamos realizando esta sessão para que os participantes possam conhecer o planejamento da Secretaria, debater e trazer suas contribuições. A Comissão tem discutido os desafios da Educação no âmbito nacional e estadual e queremos que aconteça esta mobilização das diversas instituições, para que resulte no amplo trabalho na melhoria da Educação do Estado como um todo”, disse.

Ainda estiveram presentes à mesa, a presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE), Anatércia Contreiras, o presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime/BA), Williams Panfile, além de representantes do Ministério Público da Bahia, Tribunal de Contas da Bahia (TCE) e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia. A audiência também contou com a participação de dirigentes da SEC e do Instituto Anísio Teixeira (IAT), que faz parte da estrutura organizacional da Secretaria.

 

Foto: Suami Dias

Estudantes da rede estadual participam da eleição para líderes de classe

Os estudantes da rede estadual de ensino estão participando, pelo quinto ano consecutivo, do processo de eleição geral de líderes e vice-líderes de classe. O pleito do ano letivo de 2019, que começou nesta terça-feira (26), prossegue até sábado (30) em todas as escolas da capital e do interior. A ação é uma iniciativa da Secretaria da Educação do Estado, dentro do programa Educar para Transformar, com o objetivo de promover o empoderamento juvenil, a partir do seu envolvimento nas atividades e projetos escolares, contribuindo, assim, para a gestão democrática e participativa das unidades. Para este ano, a expectativa é que o número supere os 37.175 mil líderes e vice-líderes de classe eleitos em 2018.

lideresClasse1

Na opinião dos estudantes que estão exercendo o direito de escolher os seus representantes, as eleições são importantes para aumentar a participação estudantil na vida escolar, impulsionando melhorias na comunidade escolar por meio da parceria com a gestão. A aluna Elaine Natielle, 17, 3º ano, do Colégio Estadual Professora Ivone Victor Fernandes Santos, no município de Cipó, conta que deu seu voto à chapa de sua preferência com consciência. “Eu, que já fui líder de classe, sei que trata-se de uma grande responsabilidade. Os nossos representantes têm uma missão importante pois, como líderes, exercemos a democracia, fazendo chegar as nossas propostas à direção da nossa escola. Minha expectativa é que todos que se elegerem façam um bom trabalho de nos representar”.

A vice-diretora Noélia de Souza revela que estão concorrendo 15 chapas, representando as 11 turmas da unidade. “Estamos envolvidos em um processo essencial, porque o diálogo entre os estudantes e a direção da escola, por meio dos líderes de classe, facilita o encaminhamento das soluções às propostas ou reivindicações dos alunos”, avalia a gestora.

Competências – Os estudantes eleitos nas funções de líder e vice-líder de classe serão os interlocutores da turma junto à comunidade escolar, articulando e propondo melhorias para a unidade de ensino. Representar o interesse coletivo, identificando as necessidades da classe; elaborar um Plano de Ação relativo à melhoria do processo de ensino e aprendizagem; e estimular o bom relacionamento da classe, por meio de diálogo, são algumas competências dos líderes.

lideresClasse31

 

Fotos: Ilustrativa